Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Charlie Hebdo saiu na Alemanha e o alvo foi Angela Merkel e a Volkswagen

JOHN MACDOUGALL/AFP/GETTY IMAGES

A revista satírica francesa, que em janeiro de 2015 foi atacada por terroristas islâmicos que mataram 12 pessoas, lançou esta quinta-feira a sua primeira edição alemã. Terá uma tiragem de 200 mil exemplares

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

A primeira edição alemã da revista satírica francesa Charlie Hebdo saiu esta quinta-feira, 1 de dezembro, e os alvos escolhidos para caricaturar na capa foram a chanceler Angela Merkel e ainda a Volkswagen.

Na imagem, Merkel surge deitada em cima de um elevador hidráulico a ser reparada por um mecânico que diz: “É só colocar um novo tubo exaustor e podes correr por mais quatro anos”. Já a manchete diz: “VW apoia Merkel”.

A revista aproveita, assim, o facto de Merkel ter anunciado, no mês passado, que iria candidatar-se para um quarto mandato nas eleições do próximo ano. Mas o facto de aparecer na capa não é bem uma surpresa.

Os posters que anunciavam o lançamento da revista mostravam uma caricatura de Merkel sentada numa sanita a ler a revista e com o slogan: “Charlie Hebdo. É libertador.

A tiragem inicial da edição alemã da Charlie Hebdo, revista francesa que se tornou ainda mais reconhecida após três terroristas islâmicos terem entrado na redação em Paris e assassinado 12 pessoas, vai ter uma tiragem inicial de 200 mil exemplares, o dobro da Titanic, a mais conhecida revista satírica alemã, avança a Reuters.

A maior parte dos conteúdos serão traduzidos da edição frnacesa, mas também haverá material original.