Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Daesh reivindica ataque a universidade de Ohio

REUTERS

Na declaração em que se responsabiliza pelo ataque, o Daesh, através da sua agência de propaganda, publicou uma foto de Abdul Razak Ali Artan, o estudante imigrante somali que feriu 11 pessoas. O jovem tinha residência permanente nos EUA

O suspeito de ter provocado o ataque na Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, “é um soldado” do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), revelou esta terça-feira o grupo extremista através da sua agência de propaganda “AMAQ”, citado pela Reuters.

O alegado atacante feriu 11 pessoas, na passada segunda-feira, deixando uma em estado grave, mas sem correr risco de vida, depois de ter avançado sobre um grupo de estudantes com o seu carro e os ter atacado com uma faca de talhante, tendo sido, em seguida, abatido a tiro pela polícia. Foi identificado pelas autoridades como sendo Abdul Razak Ali Artan, um estudante imigrante somali de 20 anos.

Citadas pela Reuters, as autoridades americanas revelam que este jovem se poderá ter radicalizado e ter atuado como um “lobo solitário”. Não obstante, a polícia não adiantou nenhuma informação sobre o que poderá ter motivado este ataque.

Abdul Artan estudava na Universidade de Ohio, viva na zona do campus universitário e tinha residência permanente nos EUA. No entanto, antes de realizar o ataque, o estudante proferiu ameaças contra este país no Facebook, escreve a Lusa.

De acordo com a Reuters, estas mensagens foram eliminadas pela rede social. Nas publicações, Abdul mostrava-se “cansado” de ver muçulmanos serem mortos e ter chegado mesmo a um “ponto de ebulição”. Pedia ainda para se “parar de matar muçulmanos em Burma”, onde várias pessoas tiveram de fugir e atravessar a fronteira com o Bangladesh, devido a alegações de abusos pelas forças armadas.

(Notícia atualizada às 22h33)