Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

PPE diz que apresentará “candidato convincente” à sucessão de Schulz

Líder da bancada do Partido Popular Europeu garante que apresentará um candidato forte, na sequência de “um processo democrático” no seio do grupo

O Partido Popular Europeu (PPE), a maior família política europeia, felicitou esta quinta-feira o socialista Martin Schulz pelo seu trabalho à frente do Parlamento Europeu (PE) e garantiu que apresentará um "candidato convincente" à sua sucessão.

Numa conferência de imprensa em Estrasburgo, pouco depois de Schulz anunciar que vai abandonar a assembleia europeia para se se dedicar à política alemã no próximo ano, o também alemão Manfred Weber, líder da bancada do PPE - que integra as delegações do PSD e CDS-PP ao Parlamento Europeu - sublinhou o trabalho feito pelo seu compatriota socialista à frente da assembleia, que, admitiu, ganhou enorme relevância nos últimos cinco anos.

"Gostaria, em nome do grupo, agradecer o trabalho que (Martin Schulz) fez pelo parlamento e pela Europa. Lutou de uma forma extraordinária pela Europa e nós respeitamos muito isso. O Parlamento Europeu beneficiou muito da sua liderança e compromisso. Nos últimos cinco anos, o Parlamento ganhou muita relevância e uma voz forte, e esse é um mérito que lhe pertence", declarou Weber.

Questionado sobre a corrida ao cargo que Schulz deixará vago, Weber disse que hoje trata-se sobretudo de prestar tributo ao trabalho feito pelo ainda presidente do PE, mas assegurou que o Partido Popular Europeu apresentará um candidato forte, na sequência de "um processo democrático" no seio do grupo.

Escusando-se a confirmar se ele próprio será candidato ao cargo, Weber limitou-se a referir que, dentro da família do PPE, há "muitos nomes e bons candidatos" e será seguramente apresentado "um candidato convincente".

Weber sublinhou no entanto que o mais importante é afastar de eventuais postos de decisão os "extremistas e populistas" com assento na assembleia, cujo propósito é "destruir a Europa".
"A minha prioridade é essa", assegurou.

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, anunciou esta quinta-feira que vai abandonar a política europeia e concorrer nas próximas legislativas alemãs, em 2017, contra a chanceler Angela Merkel.

"Não irei concorrer para presidente do Parlamento Europeu no próximo ano, irei candidatar-me ao Bundestag alemão como cabeça de lista do meu partido, o SPD, pela Renânia do Norte/Vestfália", anunciou Schulz, numa declaração e imprensa, em Bruxelas.

A decisão de Schulz abre o debate sobre a sua sucessão no PE, sendo o Partido Popular Europeu apontado como a mais provável fonte do próximo presidente.

No entanto, políticos do PPE já ocupam a presidência do Conselho Europeu (Donald Tusk) e da Comissão Europeia (Jean-Claude Juncker).
Martin Schulz é deputado ao PE desde 1994 e entre 2004 e 2012 foi o líder da bancada socialista no hemiciclo europeu. Foi eleito presidente do Parlamento Europeu em 17 de Janeiro de 2012.