Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jacarta está a afundar-se mais depressa do que Veneza

Ed Wray/HETTY

Construção de um muro gigante e de um reservatório é a resposta do governo indonésio à subida do nível da água na capital. População vive alarmada. Projeto está avaliado em 40 mil milhões de dólares e só deverá estar concluído em 2025

Algumas zonas da região norte de Jacarta estão a afundar-se cerca de 25 centímetros por ano, um ritmo bem mais acelerado do que o verificado na cidade de Veneza (2 milímetros/ano), escreve o “The Guardian”.

Cerca de 40% da capital já se encontra abaixo do nível do mar, vivendo aproximadamente quatro milhões de pessoas em bairros que se encontram até quatro metros abaixo do nível do mar.

“Vivemos com esta realidade todos os dias. A água entra pela parede o tempo todo e chega ao topo sempre que há maré alta”, relata ao jornal britânico Sukaesih, habitante do bairro de Maura Baru, situado na região costeira.

A população vive alarmada face à possibilidade de inundações catastróficas durante as monções, enquanto a única esperança reside no projeto “Grande Garuda” – também conhecido como o Programa de Desenvolvimento Integrado das Costas – , que consiste na construção de um muro gigante e de um reservatório de água.

O projeto inclui um muro com cerca de 32 quilómetros de extensão e uma estrutura de 17 ilhas artificiais, e o reservatório servirá para armazenar a água das chuvas. A lagoa artifícial ficará inserida numa nova cidade costeira com áreas residenciais, de negócios e de lazer, que corresponderá a mais investimentos na capital.

Apesar dos benefícios esperados com a estrutura, o projeto – que é liderado por um consórcio holandês – tem dado também origem a várias críticas por parte de ativistas e cientistas, na sequência de expulsões de habitantes de aldeias de pescadores e comunidades costeiras para a construção da obra. Alguns especialistas alertam para as consequências sociais e mesmo ambientais deste projeto megalómano.

O primeiro pilar da estrutura – que está avaliada em 40 mil milhões de dólares (37 mil milhões de euros) – foi erguido em outubro de 2014, estando previsto para 2025 a conclusão da obra.