Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Franceses elegem hoje o candidato de centro-direita às eleições presidenciais

BENOIT TESSIER/REUTERS

O ex-Presidente Nicolas Sarkozy e os antigos primeiros-ministros Alain Juppé e François Fillon são os mais bem posicionados na corrida que conta com um total de sete candidatos

Os franceses escolhem este domingo o candidato de centro-direita que irá concorrer às eleições presidenciais de 23 de abril em França.

Entre os sete candidatos que disputam o lugar destacam-se o ex-Presidente francês Nicolas Sarkozy e os ex-primeiros-ministros Alain Juppé e François Fillon.

O vencedor destas primárias ao estilo americano - as primeiras de sempre do centro-direita em França - poderá sair vencedor ainda este domingo caso ultrapasse a fasquia de 50 por cento dos votos.

Segundo uma sondagem recente da Ipsos, este cenário será altamente improvável, uma vez que Fillon recolhia 30 por cento das preferências, enquanto Juppé e Sarkozy rondavam os 29 por cento. Os restantes candidatos não conseguiram melhor do que cinco por cento das intenções de voto.

Neste caso, os dois candidatos mais votados voltarão a enfrentar-se numa segunda volta no próximo domingo, 27 de novembro.

Este sufrágio é organizado por uma comissão própria, fiscalizado pela Alta Autoridade Independente e tem lugar em 10.228 mesas de voto espalhadas por todo o país.

Durante o dia de hoje, 2,7 milhões de eleitores poderão ir às urnas. Não têm de ser militantes de nenhuma partido, basta apenas que adiram à Carta de Alternância, na qual declaram “partilhar os valores republicanos da Direita e do Centro” e se comprometem com “a alternância pela recuperação bem conseguida da França”.

Há ainda uma curiosidade: os eleitores que desejem exercer o seu direito cívico nestas primárias têm de pagar dois euros, uma ajuda de custo aos gastos envolvidos na realização desta consulta, que ascendem aos oito milhões de euros. O que sobrar será usado para pagar a campanha presidencial.

Perfil dos sete candidatos

Nicolas Sarkozy, 61 anos, que em 2012 falhou a reeleição depois de cinco anos no poder.

Alain Juppé, 71 anos, que fez campanha como moderado e se apresentou como uma figura unificadora após os atentados terroristas em Paris.

François Fillon, 62 anos, um centrista que foi primeiro-ministro durante a presidência de Sarkozy.

Bruno Le Maire, 47 anos, republicano e ministro da Agricultura entre 2009 e 2012.

Nathalie Kosciusko-Morizet, 43 anos, ex-ministra da Ecologia e Transportes que pediu a descriminalização da canábis.

Jean-François Copé, 52 anos, republicano e porta-voz do Governo de Jacques Chirac entre 2002 e 2007.

Jean-Frédéric Poisson, 53 anos, presidente da câmara de Rambouillet entre 2004 e 2007.