Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rapper iraniano condenado a cinco anos de prisão e a 74 chicotadas

Amir Tataloo faz música na clandestinidade, mas tem milhões de seguidores nas redes sociais. Foi condenado por "promover a imoralidade" com as suas canções e por "ofender os valores" do Islão

Amir Tataloo é iraniano e rapper, o mais famoso do país. Foi agora condenado a cinco anos de prisão e a 74 chicotadas, porque o Esatdo o acusa de promover a imoralidade com as suas canções, além de estas fazerem "a apologia da prostituição" e contribuir para "a depravação" dos jovens.

O “El Mundo” conta a história. Como Amir, de 33 anos e músico há 15, preferiu continuar a trabalhar na clandestinidade, em vez de abandonar o seu país, mantendo o sonho de um dia dar um grande concerto em Teerão

As letras proibidas e o facto de não estar autorizado a lançar discos não o impedem de manter 3,5 milhões de seguidores no Instagram e mais de um milhão no Facebook.

Nos últimos tempos, conta o jornal espanhol, defendeu até algumas políticas do regime iraniano, numa tentativa de conquistar alguma simpatia que lhe abrisse algumas portas, atitude muito criticada por alguns dos seus admiradores. Mas continuou vetado como artista.

Depois de ter estado preso há dois anos por transmitir a sua música através de canais estrangeiros por satélite, voltou agora a ser condenado, "por ofender" os valores do Islão.