Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bispo neozelandês culpa homossexuais pelos terramotos

O sermão foi divulgado online e já fez com que 100 mil pessoas assinassem uma petição, onde se apela que a Destiny Church seja considerada um grupo difusor do ódio e que perca a isenção fiscal

O polémico sermão em que Brian Tamaki, chefe da Destiny Church, culpa os homossexuais pelos terramotos foi proferido em Auckland, Nova Zelândia, horas antes do terramoto que no passado domingo fez dois mortos. O sermão foi divulgado no Facebook posteriormente.

“(O Livro de) Levítico diz que a terra entra em convulsão sob o peso de determinados pecados humanos, Isso são os desastres naturais”, afirmou num comentário complementado com uma referência á cidade de Christchurch, que sofreu um devastador sismo em 2011 que vitimou 185 pessoas:

“(Christchurch) tem a mais alta taxa de assassínios, era o paraíso para aqueles completamente anti-Cristo de todas as formas. Foi um representante daquela cidade quem primeiro apresentou a proposta para o casamento homossexual neste país”, acrescentou no sermão, acusando ainda os padres da cidade de “envolvimento em atividades homossexuais”.

Apesar do sermão ter sido em referência ao terramoto de 2011, o bispo considerou posteriormente tratar-se de uma premonição. “Conforme eu previ na cerimónia de domingo de manhã, os recentes desastres naturais são um sinal de que a ‘natureza nunca foi criada para suportar a escravidão da sua iniquidade’”, escreveu num comentário no Facebook.

O primeiro-ministro John Key já reagiu, num programa de rádio, qualificando a alegação do bispo como “ridícula”. “A Nova Zelândia é um país de grande risco sísmico, com um número muito bem identificado de falhas tectónicas. Isso não tem nada a ver com a sexualidade das pessoas”. comentou

Na internet, foi entretanto lançada uma petição, já assinada por 100 mil pessoas, apelando ao chefe de Governo para que considere a Destiny Church como um grupo difusor do ódio e que lhe seja retirada a isenção fiscal.