Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

China testa técnica inovadora para tratar o cancro

Grupo de oncologistas chineses aplicou uma técnica de edição genética revolucionária num doente com cancro do pulmão. Daqui a seis meses conhecem-se os resultados

Justin Sullivan/GETTY

No passado dia 28 de outubro, um grupo de oncologistas da Universidade de Sichuan, na província chinesa de Chengdu, injetou pela primeira vez células modificadas num doente com “cancro do pulmão agressivo”, utilizando a técnica CRISPR. A equipa liderada pelo médico Lu You extraiu glóbulos brancos e desativou a proteína PD-1, de forma a evitar que o cancro se dissemine para outras partes do organismo, explica a revista “Nature”.

Daqui a seis meses serão conhecidos os primeiros resultados. A comunidade médica está entusiasmada com as eventuais potencialidades da nova técnica. O grupo de oncologistas da Universidade de Sichuan tenciona aplicar este procedimento a 10 doentes, que deverão receber entre duas a quatro injeções de células modificadas. Durante 90 dias, os pacientes serão supervisionados de forma a perceber-se se a técnica provoca efeitos secundários.

Outro grupo de especialistas da Universidade de Pequim também espera poder aplicar a técnica a três doentes com cancro da bexiga, próstata e rim já em março do próximo ano.

Recentemente, vários cientistas testaram uma outra técnica de edição genética que promete tratar doentes com cancro. Mas de acordo com o oncologista Lu You, o CRISPR é um procedimento aparentemente mais simples e eficaz.