Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ban Ki-moon apela ao fim dos subsídios aos combustíveis fósseis

FADEL SENNA/GETTY

Em Marrocos, na Conferência do Clima, o secretário-geral das Nações Unidas defendeu que os países e as empresas devem empenhar-se mais na luta contra as emissões poluentes

O secretário-geral das Nações Unidas pediu esta terça-feira que os governos deixem de subsidiar os combustíveis fósseis, medida considerada fundamental para acelerar a transição para fontes de energia não poluentes.

No discurso de abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP 22), que decorre em Marrquexe, Marrocos, Ban Ki-moon foi claro: “Não temos o direito de brincar com o destino das futuras gerações ou de colocar em perigo a sobrevivência de outras espécies que compartilham o nosso planeta”.

Os combustíveis fósseis – carvão, petróleo e gás – receberam em 2015 cerca de 325 milhões de dólares (303 milhões de euros) de apoios públicos, o que representou mais do dobro do montante atribuído às energias renováveis, recorda o espanhol “El País”.

Ainda que o total concedido pelos diferentes países tenha diminuído (no caso dos combustíveis fósseis), o secretário-geral das Nações Unidas defende que as nações e as empresas devem empenhar-se mais na luta contra as emissões poluentes, oriundas da queima de combustíveis.

De acordo com dados divulgados esta segunda-feira, as emissões de gás com efeito de estufa mantiveram-se estáveis nos últimos três anos, mas o resultado não chega para conter o aquecimento global.

A prová-lo está o facto de as previsões apontarem 2016 como o ano mais quente desde que se iniciaram as medições, no século XIX.