Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama na Europa pela última vez como Presidente

Obama, à chegada a Atenas, esta manhã

PANTELIS SAITAS/EPA

Barack Obama chegou esta manhã à Grécia, de onde segue para a Alemanha e Peru. Na hora da despedida, o Presidente norte-americano terá encontros com alguns dos mais próximos aliados europeus e não deixará de abordar o resultado das eleições presidenciais no seu país

Barack Obama chegou esta manhã a Atenas, Grécia, para uma visita de dois dias, que marca a sua última passagem pela Europa como Presidente dos Estados Unidos.

A pouco mais de dois meses de passar o testemunho a Donald Trump, o Presidente norte-americano não tem escondido a preocupação com que encara o mandato do seu sucessor, nomeadamente quanto à forma como este administrará as relações dos Estados Unidos com a Europa e a Ásia-Pacífico.

Naquela que é a primeira visita oficial de um Presidente americano à Grécia em 17 anos, Obama vai encontrar-se com o homólogo grego Prokopis Pavlopoulos e com o primeiro-ministro Alexis Tsipras, estando prevista uma deslocação à Acrópole, onde fará um discurso sobre os desafios da globalização.

A viagem prosseguirá depois para Berlim, na Alemanha, onde Obama será na quinta-feira recebido pela chanceler alemã Angela Merkel.

Ainda em Berlim, mas já na sexta-feira, o Presidente norte-americano estará com alguns dos mais próximos aliados europeus como Merkel, o Presidente francês François Hollande, o primeiro-ministro italiano Matteo Renzi, o presidente do Governo espanhol Mariano Rajoy e a primeira-ministra britânica Theresa May. Nesta reunião, avança a Casa Branca, será discutida a campanha militar contra o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), a crise dos refugiados e os próximos passos a dar na Síria, entre outros temas.

Por fim, Obama terminará a sua viagem no Peru, para participar numa cimeira do Fórum de Cooperação Económica Ásia-Pacífico onde se espera que se reúna com os Presidentes chinês Xi Jinping e peruano Pedro Pablo Kuczynski, além do primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbullo. Será uma portunidade para insistir na importância de os EUA manterem o seu compromisso com a Ásia-Pacífico.