Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiro-ministro búlgaro demite-se após derrota do seu partido nas presidenciais

O primeiro-ministro, Boyko Borisov, vota nas eleições presidenciais búlgaras no domingo

BORISLAV TROSHEV / REUTERS

Boyko Borisov anunciou a sua demissão após a vitória de Ruman Radev, um candidato pró-russo, nas eleições presidenciais

O candidato socialista e pró-russo Ruman Radev venceu as eleições presidenciais búlgaras no domingo, com mais de 58% dos votos. Boyko Borisov, que já tinha ameaçado demitir-se caso a candidata do seu partido, a conservadora Tsetska Tsacheva, não vencesse as eleições, vai mesmo deixar o cargo. Tsacheva não conseguiu melhor do que 35% dos votos.

“Não iremos participar em nenhum tipo de Governo, se perdermos hoje”, avisou Borisov na manhã de domingo. Após ter conhecimento dos resultados, o primeiro-ministro afirmou que estes “mostram que a coligação governamental já não é apoiada pela maioria”. “Aceitamos a vontade do povo e felicitamos aquele que é apoiado pela maioria dos votantes”, afirmou o chefe do Governo.

Ruman Radev, antigo comandante da força aérea búlgara, irá governar um Estado que se encontra descontente com o antigo Governo de centro-direita e as suas medidas anticorrupção, com a União Europeia e com a postura do Governo para com a Rússia.

O recém-eleito Presidente afirma que irá manter a Bulgária na NATO, mas que “ser pró-Europa não equivale a ser anti-Rússia”. A sua opositora é vista como sendo mais pró-europeia e já se referiu à antiga Bulgária soviética como “passado negro”.