Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama diz que Trump “está empenhado na NATO”

Mark Wilson/GETTY

Presidente norte-americano assegura que o seu sucessor se manifestou empenhado em respeitar o compromisso dos EUA em manter uma “relação forte e robusta” com a NATO

Barack Obama garantiu esta segunda-feira que o seu sucessor manifestou estar “empenhado” na NATO e na manutenção dos compromissos com os seus aliados.

“Não há enfraquecimento da determinação quanto ao compromisso dos EUA em manter uma relação forte e robusta com a NATO, que não é só boa para a Europa, mas também para os EUA e sobretudo para o mundo”, declarou o Presidente norte-americano na primeira conferência de imprensa após a vitória de Donald Trump.

Obama assegurou que a sua administração está pronta para contribuir para uma transição política tranquila e disse esperar que Trump governe de uma forma “mais pragmática” do que a sua atuação na campanha.

“A campanha é diferente de governar. Acho que ele reconhece isso. (...) Eu não acho que ele é ideológico, acho que, em última análise, ele é pragmático, e isso pode servi-lo bem. Além disso, penso que nenhum Presidente quer deixar as pessoas zangadas ou alienar metade do país”, defendeu Obama.

Reconhecendo que uma vasta fatia do eleitorado se mostrou preocupada com o teor da campanha de Trump, o Presidente norte-americano considerou que é essencial que o seu sucessor envie alguns “sinais de unidade” a minorias, mulheres e outros grupos.

Questionado sobre se Trump está apto a desempenhar o papel de líder dos EUA, Obama recusou responder à pergunta, mas admitiu estar um pouco alarmado em relação ao futuro. “Se estou preocupado? Absolutamente. Claro que tenho preocupações. (...) Eu e ele diferimos em muitas questões”, afirmou o Presidente.

“Há certos aspetos do seu temperamento que não o servirão bem, a não ser que os reconheça e corrija”, acrescentou.

Sobre o primeiro encontro que teve com Trump, o Presidente norte-americano disse que ambos tiveram uma conversa “muito cordial”, o que não o surpreendeu porque o magnata é uma pessoa sociável. “O que está claro é que ele é capaz de aproveitar as ansiedades, mas também o entusiasmo dos seus eleitores de uma forma que foi impressionante. Eu disse-lhe isso”, sublinhou.

Em relação à derrota dos democratas, Obama defendeu que será positivo que o partido leve a cabo uma reflexão sobre o que falhou nestas eleições. “Existe um conjunto de valores fundamentais que não devem ser discutidos. Mas como nos organizámos politicamente é provavelmente algo que nós devemos gastar algum tempo a pensar”, aconselhou.