Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais medidas de Trump: Supremo Tribunal vai ter juízes antiaborto e pró-armas

getty

Em entrevista ao programa 60 Minutos da CBS, a primeira que dá desde que venceu as eleições, Donald Trump garantiu ainda que, tal como disse durante a camapnha, não vai receber salário, apenas um dólar

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, declarou este domingo à noite que vai nomear para o Supremo Tribunal juízes contra o aborto e favoráveis à posse de armas de fogo.

"Os juízes serão antiaborto" e serão "muito favoráveis à Segunda Emenda" da Constituição norte-americana, que garante o direito de cada cidadão dos Estados Unidos possuir uma arma de fogo, disse em entrevista ao programa "60 Minutos" da cadeia de televisão CBS.

Com uma foruna pessoal estimada, no início de outubro, em 3,7 mil milhões de dólares (3,4 mil milhões de euros), pela revista norte-americana "Forbes", Donald Trump garantiu ainda que, tal como disse durante a campanha, vai mesmo renunciar ao salário anual de 400 mil dólares que recebe o presidente dos EUA.

"Não vou receber o salário. Não vou", disse na mesma entrevista. "Penso que, por lei, só tenho de receber um dólar, por isso receberei um dólar por ano", afirmou.

O futuro Presidente comentou ainda os protestos contra a sua eleição que há cinco dias ocorrem em várias cidades do país. "Não tenham medo. Vamos restabelecer o nosso país", disse.

Além disso, pediu "algum tempo" e condenou qualquer agressão contra minorias no país, depois de várias dezenas de casos de agressões terem sido assinalados na sequência da sua vitória nas presidenciais.

"Digo [aos autores destas agressões verbais ou ameaças] que não façam isso, é terrível, porque eu vou reunificar este país", declarou, voltando-se em seguida para a câmara para dizer "parem".