Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hillary Clinton culpa diretor do FBI pela derrota

Getty

A candidata democrata à presidência dos EUA disse, numa conferência telefónica com os principais financiadores da sua campanha, que perdeu a corrida à Casa Branca porque James Comey anunciou a reabertura do caso dos e-mails poucos dias antes do dia da eleição

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

Hillary Clinton culpou o diretor do FBI, James Comey, pela sua derrota nas eleições presidenciais de terça-feira, 8 de novembro. A afirmação foi feita durante uma conferência telefónica que a candidata democrata deu este sábado para os principais financiadores da sua campanha, avança a Reuters, citando duas fontes que participaram nesse encontro.

De acordo com essas fontes, Clinton culpou Comey pela derrota por, a 11 dias das eleições, ter decidido enviar para o Congresso uma carta a avisar que iria retomar a investigação dos e-mails. Ou seja, se Hillary Clinton tinha ou não usado informação confidencial do governo no seu e-mail pessoal enquanto foi secretária de Estado entre 2009 e 2012.

"Há muitas razões para uma eleição como esta não ser bem sucedida, mas, a nossa análise é de que a carta de Comey levantando dúvidas que, depois se provou serem sem fundamento, foram um travão no bom momento da nossa campanha", disse ao New York Times, um dos financiadores que assistiu à conferência.

Para Clinton, nem mesmo o facto de uma semana depois - e a dois dias das eleições - Comey ter anunciado que afinal, tal como na primeira investigação, não havia quaisquer indícios que levassem a uma acusação, ajudou a conter o mal que já estava feito.

Segundo as mesmas fontes citadas pelo New York Times, Hillary Clinton terá dito nessa conferência de 30 minutos que, apesar do desfecho positivo, os eleitores que não confiavam nela e estavam indecisos ficaram ainda com mais dúvidas e optaram logo por votar em Trump.

Aliás, de acordo com os dois participantes na conferência telefónica citados pela Reuters, Clinton - que no seu discurso de derrota na quarta-feira (de manhã nos EUA e à tarde em Portugal) foi bastante correcta e low-profile - disse mesmo que Trump aproveitou o anúncio de Comey e usou-o para a atacar os momentos finais e decisivos da campanha.

A Reuters tentou contactar um porta voz de Hillary Clinton, mas não foi possível no imediato.

  • A Senhora Presidente

    Uma edição da revista americana “Newsweek” com Hillary Clinton na capa como a nova Presidente dos EUA chegou às bancas dos jornais na manhã de dia 9 de novembro – por engano. Dezassete cópias ainda foram vendidas a pessoas que provavelmente ficaram muito contentes primeiro, e muito tristes depois. Ou vice-versa