Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estado Islâmico ataca templo muçulmano no sul do Paquistão

Atentado provocou mais de 50 mortos e mais de 100 feridos, mas número pode ainda subir dado que que estariam centenas de pessoas dentro do templo a celebrar um ritual de dança

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

O Estado Islâmico atacou um templo muçulmano no sul do Paquistão, matando pelo menos 52 pessoas e ferindo mais de 100. Contudo, este número de casualidades, que já fooi atualizado duas vezes durante o dia, pode ainda continuar a subir dado que, na altura do atentado, centenas de pessoas estariam dentro dentro do templo, admitiu o comissário local, Hashim Ghalzai.

"Todos os dias, ao pôr do sol, celebramos o dhamaal (uma ritual de dança), e há um número muito grande de pessoas que vem aqui para iss", disse o responsável do santuário, Nawaz Ali.

A explosão ocorreu no templo sufi Shah Noorani localizado em Baluchistan, a cerca de 100 quilómetros a norte da cidade de Karachi. Aliás, é para aqui que muitos dos feridos estão a ser levados.

Apesar de alguns meios internacionais noticiarem que se tratou de um ataque suicida, existem ainda algumas dúvidas. A Reuters diz que ainda não é claro que tenha sido um bombista ou um bomba colocada no local.

A província do Baluchistão tem sido um alvo reincidente para os Estado Islâmico. No mês passado, uma academia da políca foi atacada e morreram cerca de 60 pessoas. E em agosto, um ataque a hospital matou cerca se 70.

Em causa pode estar o facto de este ser um dos principais pontos de passagem de uma importante rota de comércio entre o Paquistão e a China.

Notícia atualizada às 21H34 com nova contagem de mortos e feridos