Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

A Senhora Presidente

Uma edição da revista americana “Newsweek” com Hillary Clinton na capa como a nova Presidente dos EUA chegou às bancas dos jornais na manhã de dia 9 de novembro – por engano. Dezassete cópias ainda foram vendidas a pessoas que provavelmente ficaram muito contentes primeiro, e muito tristes depois. Ou vice-versa

A pressa é inimiga da perfeição, costuma dizer-se. No reino dos media, a ânsia de ser o primeiro a dar a notícia não é isenta de riscos. Nada de novo, e nada que vá mudar nos próximos tempos. Mas em algumas ocasiões em que estão em causa acontecimentos importantes, isso pode gerar gafes de monta.

Na manhã do dia seguinte às eleições norte-americanas, 9 de novembro, chegaram às bancas dos jornais 125.000 cópias da prestigiada revista "Newsweek" com a imagem de Hillary Clinton na capa e o título "Madam President". Como as sondagens (e o mundo, em grande parte), também a "Newsweek" acreditou que fosse Hillary a conquistar o lugar de 45.º Presidente dos EUA. Como tal, foi impressa com antecedência uma série de 125.000 exemplares da revista com Hillary Clinton na capa, e entregue nos quiosques. Apesar de terem enviado um alerta para que as lojas aguardassem a contagem definitiva dos votos antes de iniciar as vendas, a verdade é que ainda foram vendidas 17 cópias da Newsweek com o "Presidente errado dos EUA" na capa.

Agora, faça o seguinte exercício: ponha-se na pele de um americano que comprou uma daquelas 17 cópias (algumas delas já devem estar emolduradas...). Imagine, no caso de ser um apoiante dos democratas, a alegria ao ver Hillary na capa, e a surpresa/pasmo/incredulidade ao ligar a televisão ou o rádio e perceber que, afinal, a realidade não é aquela que está colocada na capa da revista mas outra... Ou, no caso de ser um republicano, a deceção, primeiro, seguida de euforia...

Uma coisa é certa: para uns, esta edição da "Newsweek" pode representar um "wishful thinking" da realidade. Afinal, a maioria dos eleitores votou efetivamente em Clinton, apesar do sistema eleitoral americano não fazer uma tradução direta desse facto. Num acontecimento em Pittsburgh, Hillary Clinton foi mesmo vista a autografar uma cópia de um desses exemplares (históricos) da "Newsweek". Daqui a alguns anos, há de valer fortunas nos leilões do Ebay. Vai uma aposta...?

Justin Sullivan