Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ataque talibã contra consulado alemão no Afeganistão provoca quatro mortos

O ataque foi reivindicado pelos talibãs em retaliação pelo ataque aéreo da NATO que vitimou mais de três dezenas de civis

Pelo menos quatro pessoas morreram e mais de 120 ficaram feridas, algumas em estado crítico, num ataque talibã com um carro armadilhado contra o consulado da Alemanha em Mazar-i-Sharif, no Afeganistão, esta quinta-feira.

"O atacante suicida chocou com um carro armadilhado contra a parede do consulado alemão na cidade", disse o chefe da polícia local, Sayed Kamal Sadat, citado pela Lusa.

Noor Muhammad Faiz, responsável pelo hospital público da cidade, indicou que quase todos os feridos são civis e que foram atingidos por estilhaços de vidros provocados pela explosão.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahi, disse, em comunicado, que o ataque foi uma vingança contra o recente bombardeamento aéreo feito em Kunduz, que provocou 32 vítimas civis. O ataque começou com a explosão de um carro armadilhado contra o muro do edifício do consulado, seguido da entrada nas instalações de talibãs para atacar as pessoas, explicaram no comunicado. Os talibãs acusam ainda a Alemanha de estar relacionada com "todos os crimes na província de Kunduz".

Um porta-voz da NATO, em declarações à Reuters, explicou que o edifício do consulado “sofreu danos consideráveis”, acrescentando que as tropas da NATO já estão no local garantindo a sua segurança.

As autoridades estão a investigar a possibilidade de um segundo carro estar envolvido, adianta o porta-voz.

O Presidente afegão, Ashraf Gani, anunciou o envio de uma equipa para o local para investigar o ataque, enquanto o chefe das tropas dos Estados Unidos e da NATO no país, o general John Nicholson, prometeu colaborar com Cabul para esclarecer os detalhes.

A NATO tem uma base militar nos subúrbios da cidade de Mazar-i-Sharif. A Alemanha é responsável pela presença da NATO no norte do Afeganistão e tem cerca de mil soldados na base.

Na última quinta-feira, uma operação realizada pelas forças armadas afegãs com o apoio aéreo dos Estados Unidos contra um grupo de talibãs em Kunduz provocou a morte de dezenas de civis afegãos. Durante o ataque, também dois militares americanos faleceram.

Este ataque provocou críticas um pouco por todo o mundo. Citado pelo jornal alemão “Süddeutsche Zeitung”, Tadamichi Yamamoto, comissário das Nações Unidas para o Afeganistão, considerou que a morte dos 32 civis é inaceitável e que põe em causa os esforços feitos para a construção da paz e da estabilidade no país.

O Afeganistão vive uma situação de crescente violência perante o avanço dos talibãs, que nas últimas semanas intensificaram os combates nos arredores de pelo menos cinco das 34 capitais de província. A NATO mantém no país 12 000 efetivos, 9800 são militares norte americanos.

[Notícia atualizada com balanço de mortos e de feridos, às 16h28 de 11 de novembro]