Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Quem é a primeira-dama ‘eleita’ dos Estados Unidos?

MANDEL NGAN/GETTY

A ex-modelo Melania Trump vai substituir Michelle Obama como primeira-dama a 20 de janeiro de 2017, data em que Donald Trump toma posse como Presidente

A eslovena Melania Trump tem 46 anos, é casada com Donald Trump desde 2005 e tem com ele um filho de dez anos, Barron Trump. Melania nasceu a 26 de abril de 1970 na pequena localidade de Novo Mesto, na ex-Jugoslávia, e vai ser a segunda primeira-dama nascer fora dos Estados Unidos, depois da inglesa Lousia Adams (1775-1852), esposa de John Quincy Adams, o 6º presidente dos Estados Unidos. No entanto, é a primeira a ter nascido numa sociedade comunista.

Melania é filha de Viktor Knavs, vendedor de automóveis e membro do Partido Comunista Esloveno, e de Amalija Knvas, trabalhadora operária da indústria têxtil. Até abril deste ano era tido como certo que tinha apenas uma irmã, Ines Knavs, mas a repórter da revista GQ descobriu, enquanto preparava um perfil sobre a ex-modelo, que o seu pai teve um filho com outra mulher antes de se casarem. Inicialmente a existência deste meio-irmão foi desmentida por Melania, mas depois de confrontada com vários documentos acabou por dizer que não tinha entendido a questão da repórter e que sabe da sua existência “há anos”.

Teve uma infância humilde, mas sempre se destacou pela sua aparência. Amalija Knvas fazia todas as roupas das filhas e depois de Melania ter aprendido a desenhar passou a criar as suas próprias roupas e jóias, que eram depois costuradas pela mãe ou pela irmã. Na escola destacou-se pela beleza fora do vulgar e por estar sempre vestida impecavelmente.

Em janeiro de 1987, foi abordada pelo fotógrafo Stane Jerko, que costumava escolher modelos para os seus trabalhos fotográficos na rua, em vez de em castings, como era habitual. Quando Jerko a convidou para ir ao seu estúdio, ela terá dito que não estava interessada e que a escola era a sua prioridade. Uma semana depois apareceu no atelier e foi aí, aos 16 anos, que Jerko entendeu o potencial que Melania tinha para ser modelo. O fotógrafo relembra que na altura era “reservada” e diz que mesmo depois de fazer vários desfiles e sessões voltava sempre para casa, para junto da irmã.

Tal como a sua irmã Ines, Melania queria ser designer, candidatou-se a uma faculdade de arquitetura de uma universidade local, em Ljubljana, na capital da Eslovénia, e passou nos exames de entrada. Em 1992, ficou em segundo lugar num concurso de modelos na Eslovénia. Foi nessa altura que entendeu que para ter hipótese no mundo da moda teria que abandonar o país. Partiu para Milão ao fim do seu primeiro ano de faculdade. Depois do imenso sucesso que teve em Paris e em Milão, e de ter conhecido o agente Paolo Zampolli, que serviu de intermediário para lhe conseguir um visto e um contrato numa agência de modelos americana, Melania mudou-se para Nova Iorque.

Quando a eslovena chegou à América tinha apenas 26 anos. Ia a castings todos os dias, mas nem sempre era escolhida porque a maioria dos fotógrafos procurava modelos mais novas. Nesta altura Melania temeu pelo futuro da sua carreira e terá tirado duas semanas de férias. Quando voltou foram muitos os que suspeitaram que tinha feito cirurgias plásticas, incluindo uma mamoplastia, mas Melania negou sempre ter feitos essas cirurgias.

Depois de surgirem vários rumores a agência noticiosa Associated Press analisou vários documentos que revelam que Melania fez uma dezena de trabalhos enquanto modelo, pelos quais terá recebido 20 mil dólares (18 mil euros), sete semanas antes de a ex-modelo ter conseguido uma autorização legal para trabalhar no país.

Melania chegou aos EUA a 27 de agosto de 1996 com visto de turista e apenas a 18 de outubro conseguiu um visto de trabalho. Em 2001, obteve a autorização de residência, conhecido como “Green Card”. Em 2005, casou-se na Florida com o milionário Donald Trump e foi através do casamento que conseguiu a cidadania americana. Durante a campanha presidencial do seu marido e candidato republicano, a ex-modelo sempre defendeu as ideias dele relativamente ao controlo da imigração e garantiu que entrou no país legalmente, sem nunca ter violado as regras.

Durante a campanha Melania não foi apenas alvo desta polémica, foi também acusada de ter plagiado um discurso feito em 2008 pela atual primeira-dama, Michelle Obama. As semelhanças entre os discursos são muitas, mas a equipa de campanha de Trump sempre negou as críticas. Outra das polémicas em que Melania se viu envolvida refere-se ao ter pousado nua pelo menos uma vez durante os seus anos de modelo, quando uma foto sua foi capa da edição de janeiro de 2000 da revista britânica GQ. Na altura, namorava com Donald Trump.

Em 1999, foi questionada pelo jornal “The New York Times” relativamente ao seu papel como primeira-dama caso Donald Trump viesse a ser eleito Presidente dos Estados Unidos. Melania respondeu: “Seria muito tradicional. Como Betty Ford ou Jackie Kennedy. Iria apoiá-lo”. Quando, no decorrer da campanha eleitoral, perguntaram o mesmo a Donald Trump, o candidato republicano respondeu: “Ela seria uma maravilhosa representante para o nosso país e consigo vê-la muito envolvida em assuntos relacionados com a saúde da mulher”.