Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Juncker para Trump: “Só cooperando podemos continuar a fazer a diferença”

JOHN THYS / AFP / Getty Images

Os presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu felicitam Donald Trump e convidam-no a visitar a Europa assim que puder. Juncker e Tusk querem construir pontes com o Presidente eleito dos EUA e condidam-no para uma cimeira no Velho Continente logo que possa

"Hoje é mais importante do que nunca estreitar as relações transatlânticas. Apenas através da cooperação estreita é que a União Europeia e os Estados Unidos podem continuar a fazer a diferença na gestão de desafios sem precedentes, como o Daesh, as ameaças à soberania e integridade territorial ucraniana, as mudanças climáticas e as migrações", diz a carta que Jean-Claude Juncker e Donald Tusk enviaram a Donald Trump, felicitando-o pela vitória nas eleições norte-americanas.

Os presidentes da Comissão e do Conselho Europeu recordam a Trump que "a parceria estratégica entre a União Europeia e os Estados Unidos é fundada nos valores comuns, nos direitos humanos, na democracia" e que nos últimos anos, Bruxelas e Washington têm trabalhado em conjunto para garantir a paz e a prosperidade dos cidadãos europeus e americanos e também do resto do mundo.

Jean-Claude Juncker, que há uns meses numa entrevista tinha deixado escapar a sua preferência por Hillary Clinton, diz agora a Trump que "devem consolidar as pontes sobre o Atlântico".

"Não devemos poupar esforços em garantir que os laços que nos unem continuam fortes e duradouros", diz a carta assinada também por Tusk, que recorda ainda a ajuda que os Estados Unidos têm dado para fazer face às ameaças (russas) à segurança europeia no leste europeu.

Na agenda continua também a Parceria de Comércio e Investimento Transatlântica – o polémico TTIP – que está a ser negociada com a Administração Obama e que a União Europeia quer agora continuar debater com Donald Trump. “Os europeus confiam que a América, cujos ideais têm sido sempre um farol de esperança, vão continuar a investir nas parcerias com amigos e aliados”.

A carta termina com um convite a Trump: “Uma visita à Europa para uma cimeira UE-EUA, assim que lhe convier. Este encontro permitiria estabelecer o curso das relações para os próximos quatro anos”.

[Texto atualizado às 9h57]