Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“A moral da história desta eleição: o que achamos que não pode acontecer, pode realmente acontecer”

Jessica Kourkounis/Getty Images

Daniel Da Ponte é senador de Rhode Island há 18 anos. Filho de pais portugueses, descreve a eleição presidencial como um momento único e lamenta que Joe Biden, vice-presidente de Obama, não se tenha apresentado à corrida

Daniel Da Ponte é senador de Rhode Island há 18 anos pelo Partido Democrático. O luso-descendente, filho de açorianos, descreve a eleição presidencial como um “momento único” e cheio de surpresas. Em conversa com o Expresso, admite que talvez nem Hillary Clinton nem Donald Trump sejam os candidatos que os norte-americanos queriam.

“A moral da história desta eleição: o que achamos que não pode acontecer, pode realmente acontecer”, refere Daniel Da Ponte. “Há muitos fatores únicos nesta eleição: um grande afluência da comunidade latina, as investigações do FBI, pela primeira vez uma mulher e primeira-dama está na corrida e um candidato republicano não tem o apoio sólido do partido”, acrescenta.

Para o senador, mais do que bons líderes, os Estados Unidos precisam de consensos. “É necessário alguém que pense mais no bem do país, e consequentemente, no bem do mundo, do que na política partidária”, defende.

Daniel Da Ponte acredita que grande parte dos votantes não estejam totalmente satisfeitos com os dois candidatos. “Tive pena que Joe Biden não se tivesse candidatado. Talvez fosse a pessoa mais bem preparada, mas infelizmente teve aquele problema a nível pessoal”, lamenta.

“Há eleitores tradicionalmente republicanos que não votaram em Donald Trump. Aliás, Bush votou em branco e isso já quer dizer muito. Quero acreditar na vitória de Hillary Clinton”, termina o lusodescendente.