Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Acordo entre a União Europeia e a Turquia em risco

Hans Peter Doskozil, ministro da Defesa austríaco, alerta a UE de que o seu acordo com a Turquia está prestes a ruir

LISI NIESNER / EPA

A Áustria alerta para a fragilidade do acordo entre a União Europeia e a Turquia sobre os refugiados, que entrou em vigor em março

O ministro da Defesa austríaco, Hans Peter Doskozil, avisou a União Europeia (UE) de que o acordo sobre a regulação dos refugiados, que entrou em vigor em março deste ano, se encontra em risco de falhar. O acordo prevê o retorno à Turquia de refugiados e migrantes que cheguem à Grécia em situação irregular.

“O acordo entre a UE e a Turquia está a tornar-se cada vez mais frágil. As primeiras brechas já são visíveis, temos de garantir que estamos prontos a agir quando isso [o fim do acordo] acontecer”, disse Doskozil.

O entendimento ajudou a reduzir o número de pessoas que arriscaram atravessar o Mar Egeu ilegalmente à procura de refúgio na Grécia. Em troca, a UE concordou em pagar seis mil milhões de euros para ajudar os refugiados na Turquia e em levantar os vistos de curta-duração à entrada de cidadãos turcos no seu território.

A tensão entre ambos os lados e sobre o próprio acordo tem vindo a aumentar, graças aos inúmeros casos de violação de direitos humanos na Turquia, na sequência do golpe de Estado falhado de 15 de julho. Consequentemente, a União Europeia bloqueou a política de isenção de vistos de curta-duração, que fora estabelecida nas negociações sobre o mecanismo de entrada de refugiados, pondo em risco o próprio acordo.

  • Acordo entre UE e Turquia entra em vigor no domingo

    Acordo prevê o retorno à Turquia de refugiados e migrantes irregulares que cheguem à Grécia. António Costa sublinha que o entendimento respeita a legislação internacional, responde à crise vivida na Grécia, mas alerta que não resolve o problema