Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Israel recusa conferência de paz

Benjamin Natanyahu, primeiro-ministro de Israel

Getty Images

A França pretende promover a conferência de paz para o Médio Oriente mais adiante neste ano, mas a resposta de Israel foi “clara e inequívoca”

Israel comunicou nesta segunda-feira à França a sua recusa em participar na conferência de paz para o Médio Oriente, que teria lugar mais adiante neste ano em Paris, alegando que o encontro seria uma distração do seu objetivo de negociar diretamente com os palestinianos.

“(Eles) disseram ao enviado francês de uma forma clara e inequívoca que a posição de Israel para promover o processo de paz e chegar a um acordo apenas virá através de negociações diretas entre Israel e a Autoridade Palestiniana”, referiu em comunicado o gabinete do primeiro-ministro israelita.

O enviado francês Pierre Vimont foi informado desta posição, numa reunião que manteve esta segunda-feira em Jerusalém com o conselheiro nacional para a segurança e conselheiro diplomático de Netanyahu.

Vimont encontrou-se mais tarde com representantes palestinianos em Ramallah, não tendo feito quaisquer declarações sobre a recusa de Israel. O Ministério dos Negócios Estrangeiros francês disse no entanto que mantém o plano da realização da conferência antes do fim do ano.

Os palestinianos dizem não aceitar reatar as conversações com Israel até que esta suspenda a construção de novos colonatos nos territórios palestinianos e que cumpra anteriores compromissos, nomeadamente a libertação de prisioneiros.

Nabil Abu Rdainah, porta-voz do Presidente palestiniano Mahmoud Abbas, declarou: “Nós somos a favor da realização da conferência e damos lhe as boas-vindas independentemente de Israel participar ou não”.

As conversações para a paz no Médio Oriente estão suspensas desde 2014.