Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O misterioso “beep” que está a afastar os animais marinhos

Há quem diga que poderá estar relacionado com a exploração mineira, há quem atribua a um ato de sabotagem do Greenpeace. Os militares canadianos enviaram uma equipa para investigar o som que parece vir do fundo do mar

Os caçadores da remota região do Canadá Nunavut estão preocupados com o misterioso “beep” que parece vir do fundo do mar desde o verão e que terá estado a afastar os animais marinhos.

“É uma das principais áreas de caça no verão e no inverno por ser uma polynya”, uma área de água rodeada por gelo habitualmente abundante em mamíferos marinhos, referiu Paul Quassa, membro da assembleia legislativa, à canadiana CBC News.

Quassa indicou no mês passado, na legislatura de Nunavut, que os sons parecem vir do fundo do Ártico, no Estreito de Fury e Hecla, atribuindo ao misterioso “beep” o desaparecimento dos animais. “Desta vez, neste verão, quase não havia nenhuns. E isso tornou-se muito suspeito”, comentou.

As forças armadas canadianas indicaram que enviaram um equipa para investigar o caso. “As forças armadas canadianas estão a par das alegações sobre o sons invulgares que emanam do leito marinho no Estreito de Fury e Hecla em Nunavut. Uma equipa aérea efetuou várias buscas multi-sensoriais na área, incluindo uma busca acústica de uma hora e meia, sem detetar qualquer anomalia acústica”, referiu um comunicado da porta-voz do Departamento de Defesa Nacional, Ashley Lemire.

Velejadores que passaram naquela área relataram. num programa de rádio local, terem ouvido o som e diversos ouvintes ligaram a confirmar que também o tinham escutado.

O Ártico tem conhecido um número cada vez maior de exploração mineira, turismo, assim como exercícios militares.

Entre as teorias que circulam para explicar o caso, há quem aponte para que o som esteja relacionado com sondas utilizadas na exploração marítima efetuadas nas proximidades. Mas há também quem tenha a teoria de ser uma ação de sabotagem do Greenpeace, algo que a organização ambientalista desmente.