Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Morreu a mulher que foi a legisladora mais velha dos EUA

Angeline Kopka entrou na política tarde e ficou quase até aos cem anos. Fora pioneira também noutras coisas

Em 2012, Angeline Kopka tinha 96 anos. Era viúva há três (casara em 1935), e em 2010 perdera a reeleição como membro da assembleia legislativa estatal do New Hampshire. Na sua idade, seria de esperar que poupasse as energias. Mas ela achava que ainda tinha alguma coisa a dar no serviço público. Os eleitores concordaram. Elegeram-na para mais um mandato, que durou até 2014 e consolidou o seu título como a legisladora mais velha nos Estados Unidos.

Conforme agora lembrou uma amiga, não a primeira vez que Kopka desbravava caminhos. Nos longínquos anos 50, quando uma boa parte das mulheres nem sequer trabalhavam fora de casa, ela formou-se em estudos empresariais numa universidade. Fundou uma empresa de imobiliário e em 1974 tornou-se presidente da associação profissional do setor.

A sua entrada na política data originalmente de 2002, quando foi candidata democrata à Câmara dos Representantes do seu estado. Venceu, e dessa vez esteve lá oito anos. Não sabemos se a derrota em 2010 a traumatizou, mas parece não lhe ter tirado o ânimo. Talvez alguns dos mais próximos a encorajassem. Além da política, havia filhos, netos e bisnetos.

Kopka morreu agora na cidade de Nashua (NH), onde nasceu e residia. Tinha cem anos, feitos em abril passado.