Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líder do Daesh exige que militantes lutem por Mossul até à morte

MAHMOUD AL-SAMARRAI

Primeira mensagem áudio de Abu Bakr al-Baghdadi em quase um ano surge poucos dias depois de as forças iraquianas terem alcançado uma das entradas da cidade, último bastião dos radicais no Iraque, onde se crê que o autoproclamado califa continua a viver

O líder do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) diz estar confiante numa vitória do seu grupo sobre as forças iraquianas em Mossul, numa altura em que estas estão cada vez mais perto de alcançarem o centro da segunda maior cidade do Iraque e último bastião dos radicais no país, onde Abu Bakr al-Baghdadi declarou a instalação de um pretenso califado em junho de 2014, o mais importante marco da ascensão meteórica do grupo no Médio Oriente.

Numa gravação áudio cuja autenticidade ainda não foi confirmada, uma voz atribuída a Baghdadi exige que os militantes do Daesh não abandonem as suas posições e lutem até à morte pelo controlo da importante cidade iraquiana, declarando-se confiante de que vão sair vitoriosos da batalha.

“Esta guerra total e a grande jihad que o Estado Islâmico está a executar hoje só aumenta a nossa firme crença, se deus quiser, e a nossa convicção de que tudo isto é um prelúdio da vitória”, ouve-se na gravação divulgada esta quinta-feira pelo Al-Furqan, um meio de comunicação associado ao Daesh. “Não abandonem as vossas posições. Aguentarem-se com honra é mil vezes mais fácil do que recuar em vergonha. A todas as pessoas do Nínive [província onde Mossul fica situada], em particular aos combatentes: estejam atentos a todas as fraquezas quando enfrentarem o inimigo.”

A BBC diz que, a confirmar-se que é Baghdadi o homem que dita as ordens na gravação, esta será a maior prova de que continua vivo, enterrando sucessivos rumores sobre a sua morte que foram sendo avançados no último ano. Alguns especialistas acreditam que estará escondido em Mossul. Na mensagem, não é feita qualquer referência direta à cidade iraquiana, apenas à província do Nínive, onde as tropas iraquianas e curdas lançaram uma enorme ofensiva terrestre em meados de outubro para reconquistarem Mossul aos militantes, com o apoio aéreo da coligação internacional liderada pelos EUA.

Na sua última mensagem, divulgada após a morte de um alto cargo do Daesh, Abu Muhammad al-Adnani, Baghdadi pedia aos militantes que executassem ataques contra a Arábia Saudita, um dos seus alvos favoritos, e contra a Turquia. Neste momento, Ancara tem tropas estacionadas numa base militar nos arredores de Mossul e o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem reforçado a retórica de que está pronto para uma intervenção unilateral no Iraque.

Na gravação de hoje, Baghdadi volta a pedir aos seus apoiantes que “libertem o fogo da sua ira” contra a Arábia Saudita e contra as tropas turcas que estão a combater o Daesh na Síria, inclusivamente dentro de território turco. “A Turquia entrou hoje no vosso alcance e o objetivo da vossa jihad é invadir [o país] e transformar a sua segurança em medo.” O líder do Daesh pede ainda que os simpatizantes do movimento que planeavam viajar para o Iraque e para a Síria partam, em vez disso, para a Líbia.

  • Forças iraquianas ocupam primeiro bairro de Mossul

    A leste e norte da cidade, o avanço, respetivamente, de tropas especiais iraquianas e de forças curdas foi mais rápido que o esperado. Mas falta o mais difícil: conquistar o centro da cidade onde o Daesh se refugiou. No dia – o 17.º da ofensiva, esta quarta-feira – em que as forças iraquianas conseguiram entrar finalmente em Mossul, o ponto da situação e o mapa interativo da investida da coligação

  • Forças iraquianas “rompem linha da frente” e alcançam entrada de Mossul

    Correspondente da BBC que acompanha os combatentes curdos diz que coligação de forças iraquianas está a enfrentar dura resistência à medida que se aproxima do centro da cidade. Na terça, conseguiram alcançar os arredores leste do último bastião dos radicais no Iraque pela primeira vez desde que o grupo se instalou ali em junho de 2014

  • Paramilitares xiitas lançam operação em Mossul

    Operação tem como objetivo reconquistar a cidade de Tal Afar ao autoproclamado Estado Islâmico e cortar as linhas de abastecimento com a Síria. Participação dos paramilitares é uma fonte de tensões: curdos iraquianos e os sunitas não concordam com a sua participação na batalha. Milícias xiitas já disseram, contudo, que não pretendem entrar na cidade de Mossul