Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Espanha. Pais boicotam trabalhos de casa ao fim de semana

MIGUEL RIOPA/ Getty Images

Os pais queixam-se que os seus filhos têm uma carga elevada de deveres escolares no fim de semana, retirando-lhes tempo para passarem com a família. Como forma de protesto, durante o mês de novembro estão a incentivar as crianças a não fazerem os trabalhos durante a pausa semanal

Em Espanha, por considerarem “inaceitável” a quantidade de trabalhos de casa que as crianças têm de realizar no fim de semana, os pais resolveram protestar. A Confederação Espanhola de Associações de Pais e Mães dos Alunos (Ceapa) decidiu dizer basta e está a apelar aos pais cujas crianças frequentem escolas públicas espanholas para durante o mês de novembro boicotarem os deveres escolares durante o descanso semanal.

Os pais, citados pelo jornal britânico “The Guardian”, queixam-se que a carga excessiva de trabalhos coloca muita pressão em cima dos alunos e retira-lhes tempo para passarem com a família. O presidente da Ceapa, José Luis Pazos, citado pelo “The Guardian”, alerta que, no que toca à educação, se está a perder a “noção de senso comum no país. “Temos um sistema que fez com que o tempo livre dos alunos e das alunas tivesse desaparecido”.

Pazos refere ainda que “as escolas estão a delegar nas famílias tarefas que não devem”, pois estão a tornar os pais numa espécie de segundos professores. O presidente da confederação, que representa 12 mil associações de pais, explica que tudo começa com as crianças de “três ou seis anos a terem de dedicar meia hora do seu dia a fazerem trabalhos de casa”. No ensino secundário, os jovens espanhóis gastam 60 horas semanais com os trabalhos da escola.

“Para a Ceapa, é uma situação inaceitável”. “O modelo tem de mudar, porque a sociedade também mudou e as crianças devem ser felizes quando são pequenas”, garante Pazos.

A confederação sublinha que tem recebido apoio quer de pais, quer de alguns professores. Como protesto, os pais que aderiram à greve estão a mandar cartas aos professores a pedir que não marquem trabalhos de casa ao fim de semana, explicando que os filhos não estão a fazer estes deveres porque “há um direito na Constituição que prevê que as famílias façam o que consideram melhor para si, sendo, por isso, considerado um assunto privado e em que as escolas não podem interferir”.

Um porta-voz do ministério da Educação de Madrid, em declarações ao “The Guardian”, disse que a questão dos trabalhos de casa depende de cada escola individualmente e não dos governos regionais. “É uma questão de autonomia, os professores sabem quais são as necessidades de cada aluno e de cada turma. Pedimos também aos professores das várias disciplinas que se coordenem entre si e que não mandem todos muito trabalho ao mesmo tempo. Também recomendamos que as escolas expliquem a sua política de trabalhos de casa quando os pais inscrevem as crianças na escola”, sublinha ainda o porta-voz.

De acordo com um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), produzido em 2012, as crianças espanholas de 15 anos dedicam, em média, 6,5 horas por semana com trabalhos de casa, enquanto nos outros países da OCDE a média é de 4.9 horas.