Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

10 anos de prisão para condutor distraído com telemóvel enquanto conduzia e que matou 4 pessoas

As vítimas foram uma mulher, os seus dois filhos e uma enteada, que seguiam num carro esmagado por um camião numa autoestrada congestionada em Inglaterra, quando regressavam de férias

Um motorista profissional foi esta manhã condenado em Inglaterra a 10 anos de prisão por ter causado a morte de quatro pessoas num acidente rodioviário. Tomasz Kroker distraiu-se a selecionar músicas no seu smartphone enquanto conduzia numa autoestrada, o que levou o embater o seu camião contra outros dois pesados e quatro veículos ligeiros. Além da morte de uma mulher e de três crianças da mesma família, o acidente causou ferimentos em mais cinco pessoas, uma das quais com gravidade.

A juíza Maura McGowan disse esta manha durante a leitura da sentença que o condutor estava a prestar tão pouca atenção à estrada que foi como se estivesse a conduzir “de olhos fechados”. Os registos de vídeo da cabine mostraram que Kroker, um polaco de 30 anos, esteve tão distraído a mexer no seu smartphone que quase não olhou para a estrada durante cerca de um quilómetro.

Tracy Houghton morreu instantaneamente, assim como os seus filhos Ethan, de 13 anos, e Joshua, de 11, além de Aimee Goldsmith, também de 11 anos, filha do seu companheiro. O Opel Corsa onde se encontravam foi esmagado pelo camião e ficou reduzido a um terço do seu tamanho original.

O acidente aconteceu a 10 de agosto na autoestrada A34, na zona de Bedfordshire, quando a família regressava a casa depois de umas férias passadas num parque de campismo. Mark Golsmith, o companheiro de de Tracy, encontrava-se com o seu filho Jack de 13 anos, num carro atrás, que também foi atingido pelo camião.

O procurador Charles Ward-Jackson disse que foi “particularmente traumático para os dois membros sobreviventes da família encontrarem-se no carro de trás, e que um rapaz de 13 anos tenha sido forçado a assistir de perto às mortes de quatro membros da sua família próxima”.

Kate Goldsmith, cuja filha Aimmee foi uma das vítimas, disse no final do julgamento, citada pela BBC, que o motorista transformou o seu camião numa “arma letal” ao usar o telemóvel enquanto conduzia a 80 km/h, e expressou o seu desejo de que todos os condutores aprendam uma lição com este caso.

As imagens da cabine mostram também que após o acidente Kroker desatou a chorar, afirmando: “Eu matei-os”.

De seguida, alegou que os travões do camião haviam falhado. Mas quando foi questionado pela empresa para a qual trabalhava se estava distraído na ocasião do embate, disse que “tinha o rádio ligado” mas “não estava a sintonizá-lo, nem estava ao telefone”.

Uma hora antes do acidente, assinara uma declaração ao seu empregador onde se comprometia a não usar o telemóvel enquanto conduzia.

Na semana passada, também em Inglaterra, um outro motorista de um camião foi condenado a oito meses de prisão por ter chocado contra dois carros, ferindo os respetivos condutores. Também nesse caso, os registos de vídeo da cabine mostraram que o profissional se encontrava distraído com o telemóvel.