Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sismo em Itália. Várias pessoas resgatadas e inúmeros edifícios derrubados

ALBERTO PIZZOLI/GETTY

As autoridades referem que há apenas registo de uma dezena de feridos, mas sublinham que “é cedo” para fazer um balanço. Proteção Civil recomenda que pessoas saiam das suas casas

Não há registo de vítimas, apesar da violência do sismo que esta manhã sacudiu o centro de Itália. A Proteção Civil confirmou que várias pessoas tiveram de ser resgatadas nas zonas afetadas, continuando os trabalhos para avaliar a segurança dos edifícios que sofreram danos. Sair de casa é a recomendação das autoridades.

O sismo, com profundidade de dez quilómetros e magnitude de 6,5 - o Instituto italiano de Geofísica e Vulcanologia voltou a recalcular os dados inicialmente apresentados, depois de ter referido uma magnitude de 7,1 e depois de 6,1 - localizou-se entre Las Marcas e Umbria e foi sentido cerca das 7h40, hora local (menos uma hora em Lisboa).

Fez-se ainda sentir com intensidade noutras cidades, como Roma e Florência. Na capital italiana o metropolitano encerrou momentaneamente, para que fosse verificada a segurança das estações.

Um italiano residente em Roma, confirmou ao Expresso que se tratou de um tremor mais intenso que o da passada quarta-feira, quando apenas sentiu abanar a secretária: “Desta vez saí mesmo de casa”.

ITALIAN FIRE FIGHTERS

Fabrizio Curcio, que dirige os serviços da Proteção Civil, reconhece que o facto de muitas pessoas terem já desocupado as suas habitações, na sequência dos sismos dos últimos dias, pode teer ajudado a salvar vidas.

Em Amatrice caiu uma igreja e a torre da cidade, uma das poucas edificações poupadas no sismo de agosto, escreve o “El Mundo”. Em Nórcia, ficou destruída a Basílica de São Bento e parte da catedral de Santa Maria. Várias estradas estão cortadas no centro de Itália.