Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

França diz que “selva” de Calais já foi esvaziada mas há centenas de refugiados ainda no campo

Carl Court

Entre eles estão 100 crianças desacompanhadas, que foram deixadas ao relento esta madrugada, denunciam ativistas

Várias centenas de pessoas continuam no campo improvisado de Calais, apesar de as autoridades francesas terem declarado esta quarta-feira que a zona já foi esvaziada, avançam correspondentes da BBC no terreno. Entre os refugiados e migrantes que continuam na cidade do norte de França, num campo sem condições classificado pelos locais como a "selva", contam-se cerca de 100 menores desacompanhados que, durante as operações de desmantelamento do campo, ficaram sem abrigo e sem colchões para dormir, denunciam ativistas.

Quase 5600 pessoas foram levadas de Calais para outros centros de receção de migrantes em França desde segunda-feira, dados avançados pelo Governo, que incluem cerca de 1500 crianças não-acompanhadas que estão alojadas num contentor que já está cheio, dizem as organizações de direitos humanos no terreno. Esta quinta-feira de manhã, as equipas de demolição continuavam a desmontar as tendas e abrigos improvisados na área, que ficaram quase totalmente destruídos em incêndios alegadamente provocados pelos migrantes ao serem forçados a abandonar a zona de fronteira com o Reino Unido – para onde a maioria pretende ir.

Fabienne Buccio, autarca de Pas-de-Calais, diz que a operação de desmantelamento foi "concluída" esta quarta-feira, mas segundo Caroline Gregory, da ONG britânica Calais Action, cerca de 100 menores que chegaram sozinhos àquela parte do território europeu foram deixados ao relento durante a noite e permanecem no campo.

"Implorámos às autoridades francesas que fizessem realmente alguma coisa quanto às crianças refugiadas e nada foi feito", denunciou a ativista em declarações à BBC, esta manhã. Voluntários da sua organização e de outras similares encontraram um abrigo para os menores num armazém, onde parte dos milhares de requerentes de asilo continuavam a tratar dos seus registos, tendo também criado um campo improvisado dentro de uma escola da zona para proteger as crianças até à sua transferência.

Reagindo à notícia, o Ministério do Interior do Reino Unido chutou para as autoridades francesas a responsabilidade por "todas as crianças em Calais durante a operação de limpeza", "incluindo aquelas cujos casos estão a ser analisados para eventual transferência para o Reino Unido". Há dez dias, o país recebeu as primeiras 14 crianças de um grupo de cerca de 100 menores desacompanhados que ao longo dessa semana foram recebidos por familiares já instalados no território britânico. Desde então, um total de 234 crianças foram transferidas para o Reino Unido, com outras 100 ainda presas em Calais.