Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Socialistas espanhóis decidem se permitem novo Governo de Mariano Rajoy

Manifestação em Madrid contra a possível viabilização de um Governo liderado por Mariano Rajoy

ANDREA COMAS/REUTERS

A possível abstenção dos deputados do PSOE viabilizará um Governo do Partido Popular, sem que se realizem novas eleições em Espanha

Os socialistas espanhóis vão hoje decidir este domingo se optam pela abstenção na votação de nova investidura do conservador Mariano Rajoy como primeiro-ministro, criando uma saída do atual impasse político e evitando a marcação de novas eleições legislativas.

O órgão mais importante entre congressos do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), o Comité Federal, vai decidir se o PSOE deve manter a sua posição de recusa de um novo Governo chefiado por Mariano Rajoy, líder do Partido Popular (PP, de direita), ou se, através da abstenção, permite desbloquear o impasse político atual.

A maior parte das federações regionais do PSOE defendem a abstenção, mas os socialistas estão muito divididos sobre a questão depois da demissão, no início deste mês, do ex-secretário-geral, Pedro Sánchez, um firme defensor do “não” a Rajoy, que acabou por ser derrotado.

Os defensores do “não estão receosos de que a coligação de partidos radicais de esquerda Unidos Podemos, a terceira força mais votada, passe a liderar a oposição ao PP.

Aqueles que se querem abster pretendem evitar as terceiras eleições que iriam, segundo as sondagens, penalizar o PSOE.

Se o Comité Federal decidir pela abstenção socialista, o rei Felipe VI deverá, depois de ouvidos os partidos com assento parlamentar, voltar a apresentar o nome de Mariano Rajoy para chefiar o Governo.

  • Anatomia de um impasse

    Já houve duas eleições legislativas em seis meses e as terceiras não estão excluídas. Análise de um panorama político fragmentado em que os protagonistas procuram mais defender interesses sectários do que alcançar consensos e soluções