Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Civis e rebeldes têm até às 17h para sair de Alepo

Dois dos corredores para a saída da zona este de Alepo são destinados à passagem dos combatentes rebeldes

GETTY

O exército sírio está a levar a cabo um cessar-fogo em Alepo. A Rússia declarou que os oito corredores, através dos quais civis e rebeldes podem sair da cidade, estão a ser controlados em tempo real através de câmaras e drones de vigilância e que as imagens serão transmitidas pela internet

Está em vigor até às 17 horas desta quinta-feira (19h locais) o cessar-fogo declarado unilateralmente pelo exército sírio para permitir que civis e combatentes rebeldes possam abandonar a zona leste da cidade síria de Alepo.

Os rebeldes, contudo, rejeitaram o plano que consideram fazer parte de uma campanha psicológica para os levar a renderem-se e há indicações da ocorrência de confrontos em pelo menos um dos oito dos corredores estabelecidos para permitir a saída da cidade sitiada. Dois dos corredores destinam-se à passagem dos combatentes rebeldes, que podem sair e levar as suas armas.

A Rússia declarou que os corredores estão a ser controlados em tempo real através de câmaras e drones de vigilância, para garantir a segurança de quem os utiliza, e que as imagens serão transmitidas pelo site do seu Ministério da Defesa.

O Presidente francês Francois Hollande e a chanceler alemã Angela Merkel voltaram a criticar Moscovo pelos bombardeamentos que tem levado a cabo na cidade, frisando que não excluem impor sanções à Rússia.

Cerca de 2700 pessoas foram mortas ou feridas desde que o exército sírio cercou, no mês passado, a zona leste da cidade e lançou um ataque sobre a mesma com o apoio da aviação russa, segundo dados do Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Entretanto, a Turquia disse que os seus aviões atacaram a milícia curda a norte de Alepo, matando cerca de 200 guerrilheiros, mas estes números não foram confirmados por outras fontes.

  • Rússia anuncia curta “pausa humanitária” em Alepo

    Moscovo diz que vai suspender operações durante oito horas na próxima quinta-feira, para que civis e rebeldes possam abandonar a cidade. Agências da ONU dizem que são necessárias pelo menos 12 horas de trégua para possibilitar retirada e distribuição de ajuda humanitária