Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vinte e uma nigerianas de Chibok libertadas reuniram-se às famílias

  • 333

Boko Haram liberta 21 das mais de 200 jovens raptadas em Chibok

STR / EPA

Pais das estudantes raptadas em 2014 deslocaram-se até Abuja, capital da Nigéria, para se encontrarem com as filhas libertadas recentemente pelo Boko Haram

As famílias das 21 estudantes libertadas pelo grupo extremista Boko Haram reuniram-se este domingc com as filhas em Abuja, onde celebram a sua libertação durante uma missa.

As famílias nunca perderam a esperança de que as meninas iriam um dia ser libertadas e este domingo os pais das 21 jovens deslocaram-se 850 quilçómetros, de Chibok até Abuja, para celebrar a sua libertação.

O movimento internacional BringBackOurGirls (tragam de volta as nossas raparigas) continua a apelar pela libertação das restantes jovens raptadas em abril de 2014 pelo Boko Haram, de uma escola em Chibok na Nigéria. Na altura, foram sequestradas 274 raparigas.

Dois anos e meio decorridos após o rapto, as negociações entre o Governo nigeriano e os terroristas mostraram os primeiros resultados, sendo que em troca pelas 21 jovens foram libertados quatro membros do grupo radical que estavam detidos pelas autoridades nigerianas. As negociações foram conduzidas pela Cruz Vermelha e pelo governo suíço. As estudantes foram libertadas na quinta-feira e deslocaram-se até Abuja, onde receberam tratamentos médicos antes do reencontro com os familiares.

Apesar de não ter confirmações, o governo nigeriano suspeita que as estudantes possam ter sido obrigadas a casar com membros do Boko Haram, violadas, obrigadas a fazer trabalhos forçados e a converter-se ao Islão.

Comandantes do grupo extremista justificaram a libertação das jovens como um ato de boa fé e afirmam que as outras podem também ser libertadas se o Governo ceder aos seus pedidos. Membros do Governo nigeriano já afirmaram que todas as opções se encontram em aberto.

  • Boko Haram liberta 21 nigerianas de Chibok

    O movimento BringBackOurGirls (Tragam as nossas raparigas de volta), que luta pela libertação das mais de 200 jovens de Chibok raptadas pelo grupo extremista, ainda aguarda pela confirmação da identidade das libertadas