Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz que as eleições são “manipuladas”

  • 333

reuters

Ao mesmo que diz haver uma conspiração dos media contra si, o candidato republicano lança a desconfiança sobre o processo de contagem dos votos

Donald Trump afirma que as eleições norte-americanos são “manipuladas”, numa afirmação que remete para uma suposta conspiração dos media contra si, mas também para as suspeitas que lançou anteriormente sobre o processo de contagem dos votos.

“A eleição está a ser totalmente manipulada pelos media desonestos e distorcidos em favor da corrompida Hillary – mas também em muitos locais de votação”, escreveu o candidato republicano no Twitter no domingo.

Durante o fim de semana, Trump descreveu a democracia americana como “uma ilusão” e repetiu os apelos para que as pessoas prestem atenção aos locais de votação, manifestando receio de que ocorram casos de intimidações no dia da eleição e possíveis distúrbios violentos após a divulgação dos resultados.

As alegações surgem após uma série de casos de mulheres que vieram a público afirmar que haviam sido assediadas sexualmente por Trump, após no último debate com Hillary Clinton ter afirmado que nunca fizera algo do género.

Entretanto, alguns destacados apoiantes fizeram declarações reforçando a tese de irregularidades no processo eleitoral. O antigo autarca de Nova Iorque Rudy Giuliani diz que diversos distritos de maioria democrata são conhecidos por contarem os votos de pessoas já falecidas. “Vocês querem que eu diga que eu penso que a eleição em Filadélfia e Chicago vai ser honesta? Teria de ser atrasado para dizer isso (..) Peço desculpa. As pessoas mortas geralmente votam pelos democratas e não pelos republicanos”, declarou à CNN.

“Eu penso que Donald Trump está a falar sobre o que parece claramente ser um apoio monolítico dos media nacionais a Hillary Clinton", afirmou por seu turno o governador de Indiana Mike Pence. “Tantos americanos sentem que esta eleição está a ser manipulada”, acrescentou nas declarações à NBC, frisando, contudo, que Trump irá “aceitar totalmente os resultados da eleição”.

A vantagem de Clinton sobre Trump aumentou, surgindo agora a candidata democrata com 48% das intenções votos e o republicano com 37%, quando em meados de setembro a diferença era de apenas 6%, segundo indicam as sondagens do “Wall Street Journal”/NBC News.