Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Governo da Tailândia decreta um ano de luto pelo Rei

  • 333

Chumsak Kanoknan/GettyImages

Os tailandeses choram a morte do rei. Estão suspensas as emissões de televisão a cores, e as estações só emitem a preto e branco. A bandeira vai estar a meia-haste nos próximos 30 dias e os funcionários públicos terão de vestir preto no próximo mês

Bhumibol Adulyadej, entronizado como Rama IX, foi rei da Tailândia durante sete décadas. Morreu esta segunda-feira, com 88 anos, depois de um longo período de doença.

Os tailandeses choram o monarca que conseguiu ser o símbolo de unidade do país em diversos momentos de tensão.

Na capital, Banguecoque, a população está aparentemente calma, e concentrada nas imediações do hospital Siriraj, onde morreu Bhumibol.

De acordo com um tweet de Richard Barrow tudo indica que são muitos os que se irão manter em vigília de homenagem durante toda a noite.

Contactado pelo Expresso, o embaixador de Portugal em Banguecoque, diz que as “estações de televisão estão a emitir a preto e branco. A Tailândia estará um ano de luto e, durante os próximos 30 dias, os serviços públicos terão a bandeira a meia-haste” e os funcionários públicos terão de vestir de preto.

Francisco Vaz Patto admite que este anúncio do governo tailandês tenha como objetivo “gerar condições para assegurar um período de transição tranquilo”.

Francisco Vaz Patto lembra que o rei designou o seu filho Vajiralongkorn como “príncipe herdeiro a 28 de dezembro de 1972”. O governo de Banguecoque já apresentou o pedido de designação de Vajiralongkorn à Assembleia Nacional interina.

Este órgão legislativo ainda não deu qualquer resposta, mas Vajiralongkorn já pediu que tempo “para fazer luto” pelo pai, de acordo com o jornal de Singapura “Today”.