Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump: “Eu disse coisas parvas mas Bill Clinton abusou mesmo das mulheres”

  • 333

Ethan Miller/GETTY

O candidato à Presidência dos EUA lamentou os comentários machistas que fez em 2005 e que foram divulgados esta sexta-feira num vídeo, comprometendo-se “a ser um homem melhor”

Donald Trump pediu desculpa por comentários considerados vulgares e machistas divulgados num vídeo na sexta-feira, mas acrescentou que o ex-Presidente Bill Clinton fez pior e "abusou mesmo das mulheres".

"Já disse, procedi mal e peço desculpa", diz Trump num vídeo divulgado hoje em que sublinha que a gravação difundida na sexta-feira tem mais de dez anos e se arrepende daquilo que dizia.

Trump compromete-se "a ser um homem melhor", mas acrescenta que, no entanto, o ex-Presidente norte-americano Bill Clinton, casado com a sua rival nas eleições deste ano, "abusou mesmo das mulheres" e que Hillary Clinton perseguia as vítimas do marido.

"Eu disse coisas parvas mas há uma grande diferença entre as palavras e os atos de outras pessoas. Bill Clinton abusou mesmo das mulheres e Hillary perseguiu, atacou, humilhou e intimidou as suas vítimas", afirma o candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata.

A nova polémica em torno de Trump surgiu por causa de um vídeo gravado em 2005 e divulgado na sexta-feira pelo jornal "The Washington Post" em que o empresário fala sobre as mulheres em termos considerados vulgares e machistas.

Por causa deste vídeo, o presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Paul Ryan, desistiu na sexta-feira de aparecer publicamente hoje, pela primeira vez, ao lado de Trump, "indignado" com as suas declarações machistas.

Também o presidente do Partido Republicano, Reince Priebus, condenou as palavras de Trump no vídeo, dizendo que "nenhuma mulher deve ser descrita naqueles termos".

Por outro lado, o governador do Utah, o republicano Gary Hernert, anunciou hoje que retirou o apoio a Trump e que não votará nas eleições de novembro, considerando as declarações do candidato à Presidência dos Estados Unidos "ofensivas e desprezíveis".

O mesmo fez o congressista eleito pelo Utah Jason Chaffetz, enquanto o ex-governador deste estado Jon Huntsman pediu a Trump para retirar a sua candidatura à Casa Branca.

Antes de divulgar o vídeo de hoje, Trump já havia dito, através de um comunicado, que a gravação se tratou de uma conversa privada com anos, desculpou-se "se alguém se sentiu ofendido" e referiu Bill Clinton.

"Era uma conversa de vestuário, privada, que teve lugar há anos. [O ex-presidente] Bill Clinton disse-me coisas muito piores no campo de golf", disse.

Esta polémica surge a poucos dias do segundo debate entre os dois principais nomes na corrida à Casa Branca deste ano, Hillary Clinton e Donald Trump, que está marcado para domingo.