Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cidade síria com 250 mil civis poderá estar dizimada dentro de dois meses

  • 333

ABDALRHMAN ISMAIL/REUTERS

O alerta é lançado pelo enviado especial da ONU: “A este ritmo. a cidade de Alepo Este estará totalmente destruída, e milhares de civis sírios, não terroristas, serão mortos” até ao Natal

Alepo Este poderá estar prestes a conhecer um genocídio semelhante aos ocorridos em Sebrénica e no Ruanda, alerta o enviado especial da ONU à Síria Staffan de Mistura, que se ofereceu para ir pessoalmente escoltar para fora da cidade os menos de milhar de combatentes islamitas que lá se encontram.

Mistura realça que a História irá julgar de modo severo a Síria e a Rússia por se aproveitarem da presença de cerca de 900 combatentes da antiga Jabhat al-Nusra como “um álibi fácil” para a destruição da cidade sitiada e matarem milhares dos 275 mil cidadãos, 100 mil dos quais crianças, que lá se encontram.

“A grande questão é dentro de dois meses, dois meses e meio no máximo, a este ritmo a cidade de Alepo Este estará totalmente destruída, e milhares de civis sírios, não terroristas, serão mortos, muitos e feridos e milhares serão refugiados a tentar escapar”, denuncia Staffan de Mistura.

Dirigindo-se diretamente aos combatentes islamitas, o dirigente afirmou: “Se vocês decidirem sair com dignidade, e com as vossas armas, para Idlib ou para qualquer lugar que queiram ir, eu pessoalmente estou fisicamente preparado para vos acompanhar”.

Pelo menos 376 pessoas foram mortas e 1266 ficaram feridas nas últimas duas semanas em Alepo, indicou o conselheiro humanitário da ONU Jan Egeland. Dois hospitais foram destruídos e 600 pacientes ficaram a necessitar de serem evacuados, indicou Mistura.

Alepo Este tem estado a ser alvo de intensos bombardeamentos desde o fim do cessar fogo acordado pelos Estados Unidos e a Rússia no mês passado.