Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Eleição de Guterres “honra muito Portugal”

  • 333

JOSÉ COELHO / Lusa

Assunção Cristas felicitou também a diplomacia portuguesa, “que se empenhou”, e as Nações Unidas, pelo “processo transparente e público” que terminou com a nomeação de Guterres para o cargo de secretário-geral da ONU

Assunção Cristas, definiu a eleição de António Guterres à liderança das Nações Unidas como uma vitória pessoal e da diplomacia portuguesa que “honra muito Portugal”.

Após recordar que a votação formal apenas ocorrerá na quinta-feira, a líder dos centristas considerou em declarações aos jornalistas, junto ao Planetário da Gulbenkian, que “este já é o dia em que podemos dar os parabéns firmes ao engenheiro António Guterres”, antes de destacar o seu empenho pessoal na conquista do cargo de secretário-geral da ONU.

“É, em primeiro lugar, uma vitória dele, pelo seu mérito, pelo seu percurso, pelo trabalho que desenvolveu também na preparação desta candidatura e que a todos também impressionou”, considerou.

Assunção Cristas emitiu ainda uma “palavra de parabéns para a diplomacia portuguesa, que se empenhou e também terá feito certamente a diferença”, e para as Nações Unidas, pelo “processo transparente e público” levado a cabo.

E concretizou: “É uma vitória para as Nações Unidas que terão o melhor candidato possível para este cargo. É também algo que honra muito Portugal e que nos permite continuar a afirmar como nação que constrói pontes, que constrói consensos e que procura trabalhar pela paz no mundo”.

A líder do segundo partido da oposição enfatizou ainda um processo de eleição “muito transparente, público desde o início, a dada altura com dúvidas sobre se seria conduzido até ao final desta forma”, e elogiou o triunfo “desta linha da transparência de um processo público com as audições, votações absolutamente claras que todos nós pudemos acompanhar de forma muito entusiasmada”.

Assim, e num dia de “grande alegria” para Portugal, a líder do CDS-PP insistiu no reconhecimento do processo conduzido pelas Nações Unidas, e nas qualidades do futuro secretário-geral da organização.

“Obviamente que os maiores parabéns e o maior mérito pertencem sem dúvida ao candidato, engenheiro António Guterres, que mostrou ser o mais bem preparado e o que mais condições reúne para desempenhar um cargo tão importante. Estou certa que fará a diferença”, concluiu.

O antigo primeiro-ministro português António Guterres foi esta quarta-feira indicado como favorito para secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo Conselho de Segurança à Assembleia-geral, que deverá aprovar o seu nome dentro de alguns dias.

O Conselho de Segurança anunciou que o português é o “vencedor claro” da votação, recebendo 13 votos de encorajamento e duas abstenções, uma das quais de um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança com direito de veto.

Este órgão deverá aprovar na quinta-feira uma votação formal para indicar o nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, formalizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon, que entra em funções a 1 de janeiro de 2017.