Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais de 5600 refugiados resgatados num só dia ao largo da costa líbia

  • 333

ALKIS KONSTANTINIDIS/REUTERS

Guarda Costeira italiana fala numa das maiores operações de resgate no Mediterrâneo desde o início da crise dos refugiados há três anos. Requerentes de asilo vinham rumo à costa italiana em quase 40 botes sobrelotados

A Guarda Costeira italiana coordenou na segunda-feira operações de resgate que permitiram salvar mais de 5600 pessoas que tinham partido da costa da Líbia em direção à Europa na travessia mais perigosa do Mediterrâneo. Foi, segundo a BBC, uma das maiores operações de resgate a terem lugar naquele mar desde que centenas de milhares de refugiados começaram a partir, desesperados, rumo à Europa no final de 2013.

Os requerentes de asilo tinham embarcado da Líbia em quase 40 botes, na segunda-feira de manhã, rumo à costa italiana, onde cerca de 132 mil migrantes já chegaram desde o início deste ano, de acordo com contas da Organização Internacional para as Migrações.

Durante a operação, pelo menos uma pessoa morreu e várias tiveram de ser retiradas do local por via aérea a fim de receberem tratamento médico urgente. Num dos botes seguiam quase 200 menores de um total de 720 passageiros. A maioria das crianças viajava desacompanhada, uma tendência que tem estado a aumentar desde janeiro de acordo com várias organizações não-governamentais, entre elas a UNICEF.

O resgate de larga escala acontece precisamente três anos depois de 366 migrantes terem morrido ao largo da ilha italiana de Lampedusa após o bote sobrelotado em que seguiam ter naufragado. O caso fez com que a comunidade internacional prestasse atenção ao desespero das centenas de milhares de pessoas que continuam a fugir do Médio Oriente e África rumo à Europa e às consequentes tragédias registadas no Mediterrâneo pela falta de soluções coordenadas dos Estados-membros da União Europeia e pelos perigos que enfrentam na travessia à mercê de redes de tráfico humano.