Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Leão abatido a tiro no zoo de Leipzig

  • 333

Motshegetsi (à esquerda) e Majo (à direita) nasceram na Namíbia e estavam há um mês no zoo de Leipzig

Jan Woitas/AFP/Getty

Os membros do staff tentaram atingir o leão - que tinha fugido da jaula - com um dardo tranquilizante, mas perderam o controlo da situação e tiveram de ativar um plano de segurança alternativo que culminou com a morte de Motshegetsi

Dois leões escaparam das suas jaulas na manhã desta quinta-feira, antes de o jardim zoológico de Leipzig, na Alemanha, abrir ao público. Quando foram descobertos, Majo e Motshegetsi, ambos com um ano de idade, estavam “aterrorizados”, descreve a BBC. Enquanto o staff conseguiu levar Majo de volta à sua jaula, Motshegetsi permanecia muito agitado. Os funcionários tentaram acalmá-lo com um dardo tranquilizante, porém o plano falhou e tiveram de disparar sobre o leão.

“Este é um final muito triste, que eu não desejava que tivesse acontecido, mas que neste caso tínhamos de ter como prioridade a segurança pessoal”, lamentou o diretor do zoo, Jörg Junhold. “Depois de o Majo ter sido apanhado e termos atirado o dardo tranquilizador ao Motshegetsi, tínhamos esperança de que a situação ficasse controlada sem a perda de vidas”, explicou o diretor.

Esta fuga revelou-se “uma surpresa para todos porque a cerca onde estavam os leões estava há 15 anos em operação e por isso pensava-se que seria segura”, revela ainda Junhold, que acrescenta que “vão fazer uma revisão na segurança”.

Os dois leões estavam há um mês no zoo de Leipzig, vindos de um zoo de Basileia, na Suíça. Numa primeira fase, foi-lhes dado algum tempo para se habituarem à nova casa antes de serem postos à vista do público.

Em março, no mesmo zoo, um tigre matou outro quando a barreira de separação que dividia os dois animais foi removida por acidente.

Dois meses mais tarde, em maio, o abate de um gorila no zoo de Ohio, depois de uma criança ter caído para a sua jaula, foi notícia em todo o mundo.