Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Gary Johnson teve outro “momento Alepo”

  • 333

Alex Wong/Getty Images

Gary Johnson, ex-governador republicano do Novo México e candidato do Partido Libertário às presidenciais norte-americanas, voltou a sair mal na fotografia, depois de não ter conseguido identificar o seu líder internacional preferido

“Qual é o seu líder internacional preferido? O líder internacional que mais respeita e admira?”, pergunta-lhe Chris Matthews, conhecido jornalista e comentador de política, em direto para o canal norte-americano MSNBC.

Gary Johnson, o ex-governador republicano do Novo México e candidato do Partido Libertário às presidenciais norte-americanas, que há cerca de três semanas deixou o mundo espantado ao admitir que não sabia o que era Alepo, começou por revelar alguma hesitação. O comentador, apercebendo-se disso, insiste: “[Pode ser] de qualquer lado. De qualquer continente. Canadá, México, Europa, Ásia, América do Sul, África. Um líder qualquer que respeite”.

O candidato à presidência dos Estados Unidos volta a hesitar. Tenta lembrar-se de um nome, de um nome qualquer, de um líder qualquer, seja ele quem for e de onde for, mas nada lhe ocorre. Sem ter mais para onde se virar, lá acaba por admitir. “Acho que estou a ter outro ‘momento Alepo’ em relação ao nome do antigo Presidente do México”. Ainda assim, é-lhe dada mais uma oportunidade, a última: “Pode ser um líder qualquer, de qualquer lugar do mundo”, diz Chris Matthews.

Mas Gary Johnson limita-se a repetir: “O antigo Presidente do México”. “Mas qual deles?”. “Não sei. Acho que estou a ter uma branca”. Bill Weld, ex-governador do Massachusetts, também convidado a participar no programa, intervém finalmente, para ajudar o ex-governador republicano. Um a um, vai dizendo os nomes dos Presidentes do México, até chegar ao nome de Fox, Vicente Fox Quesadas, que foi Presidente do país entre 2000 e 2006.

“Fox! Obrigada!”, grita Gary Johnson, aliviado, embora o pior já estivesse feito. É a segunda vez este mês que o candidato à Casa Branca sai mal na fotografia, depois de ter perguntado a Mike Barnicle, do programa Morning Joe (MSNB), o que era Alepo, uma das maiores cidades da Síria e das mais afetadas pela guerra civil que começou há cinco anos no país, tendo provocado, desde então, milhares de mortos e deslocados.

Segundo uma sondagem do “The Washington Post” e da ABC News, Gary Johnson conta com 7% das intenções de voto dos norte-americanos para as eleições presidenciais de 8 de novembro, à frente da candidata do Partido Verde, Jill Stein, que reúne 2% dos votos, e atrás, obviamente, de Donald Trump e Hillary Clinton.