Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Centenas de pessoas à caça de jade na fronteira da China com a Birmânia

  • 333

Exemplar de uma jade foi descoberto durante as obras de uma estrada local. Forte aparato levou as autoridades chinesas a apelarem à calma

Centenas de pessoas saíram às ruas na localidade chinesa de Tengchong, próximo da fronteira com a Birmânia, carregando pás e baldes para procurar jade no subsolo, levando as autoridades locais a apelar à calma.

Segundo a agência oficial chinesa Xinhua, o fenómeno foi suscitado pela descoberta de alguns exemplares daquela pedra semipreciosa, e muito apreciada na cultura chinesa, durante as obras numa estrada.

Centenas de pessoas acorreram àquela área para cavar, utilizando ferramentas ou fazendo-o com as próprias mãos, em busca de uma pedra que nos últimos anos chegou a valer 3.000 dólares por onça (28 gramas), atingindo por vezes o dobro do preço do ouro.

"Alguns conseguiram desenterrar jade e montaram bancas para vendê-lo", afirmou um joalheiro local, citado pela Xinhua.
Autoridades da zona assinalaram que este tipo de situação ocorre com relativa frequência, sempre que há obras em Tengchong, o centro do comércio de jade com a Birmânia, há mais de 600 anos.

Desde as antigas dinastias chinesas, o jade tem na China um significado parecido ao do ouro e diamantes nas sociedades ocidentais, e é um ornamento habitual em joias, vestidos, e nas tumbas da nobreza ou do imperador e um dos presentes favoritos das famílias abastadas da região.