Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Fumar um charro de marijuana não é o fim do mundo”, diz o Presidente do Peru

  • 333

LUIS ROBAYO AFP-PHOTO

Pedro Pablo Kuczynski considera-se uma pessoa liberal, contudo não vai legalizar o consumo de estupefacientes no Peru, devido aos riscos que podem estar associados

O Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, manifesta-se contra a legalização das drogas, mas considera que "fumar um charro não é o fim do mundo”, escreve o jornal espanhol “El Mundo” esta segunda-feira.

“Considero que legalizar a droga não é uma questão simples e que isso não vai acontecer no Peru”, revela Kuczynski. O chefe de Estado defende que fumar um charro de marijuana não é um delito grave, mas que o caso muda de figura quando se fala de drogas pesadas.

Na América Latina, vários Presidentes já aprovaram a legalização das drogas. Todavia, na visão de Kuczynski, os países onde a droga circula livremente “têm graves problemas”. O Presidente considera ainda que é preciso controlar a procura de estupefacientes.

O negócio da droga está a sofrer uma mudança, com as substâncias sintéticas e químicas a substituírem o uso de outras drogas, como a cocaína. Estas drogas estão a provocar uma quebra do preço da folha da coca, o que representa um mau negócio para os agricultores. No entanto, Kuczynski garante que não se pode combater a venda de substâncias químicas exigindo a sua erradicação, como acontece na Colômbia.

O Peru é o segundo maior produtor de folha de coca a nível global.