Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Nenhum perigo” na província canadiana onde ameaça de bomba forçou retirada de 19 mil alunos

  • 333

JOHN MORRIS / Reuters

Polícia na Ilha do Príncipe Eduardo, uma das dez províncias do Canadá, garante que “toda a gente está segura” após falsa ameaça de bomba

A ameaça de bomba que esta quarta-feira forçou a evacuação de todas as escolas e universidades da província canadiana da Ilha do Príncipe Eduardo provou-se falsa. Numa conferência de imprensa em Ottawa, o primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau explicou na noite de quarta-feira (já madrugada de quinta-feira em Lisboa) que a polícia não encontrou nenhum engenho suspeito após buscas nas instituições de ensino da província.

"O ministro da Segurança Pública acabou de informar-me de que todas as crianças e pessoal das escolas estão a salvo", disse Trudeau, após mais de 19 mil alunos terem sido retirados de todas as escolas na sequência da ameaça que referia a existência de bombas instaladas em várias escolas. "A situação está sob controlo", garantiu o chefe do Governo.

O sargento Kevin Baillie, da Polícia Montada, explicou que a ameaça foi enviada por fax às autoridades de Ottawa na manhã de quarta-feira e que as escolas foram notificadas dos alegados riscos no espaço de dez minutos. "A mensagem [enviada à polícia] referia que havia bombas plantadas numa série de escolas que seriam detonadas esta quarta-feira", explicou aos jornalistas. "Nenhum perigo foi detetado, toda a gente está a salvo."

Outra fonte da polícia citada pelo "The Guardian" explicou que as autoridades do Canadá e dos Estados Unidos ainda estão a tentar localizar a fonte da ameaça, que colocou todos os serviços de emergência de várias jurisdições do Canadá sob alerta. O agente falou sob anonimato, porque ainda não estava autorizado a falar publicamente sobre a investigação.

A polícia de Winnipeg, em Manitoba, no centro do Canadá, também está a investigar uma outra ameaça contra a maior divisão escolar da cidade, em tudo semelhante à que mobilizou as autoridades na Ilha do Príncipe Eduardo, uma das dez províncias do Canadá. As autoridades de Winnipeg receberam uma ameaça por fax pelas 8h30 da manhã de quarta-feira (13h30 em Lisboa) com referências a bombas instaladas em várias escolas da localidade. Nenhuma delas foi evacuada.

Pelo contrário, todos os alunos, professores e funcionários das mais de 60 escolas e universidades de língua inglesa e francesa da Ilha do Príncipe Eduardo foram retirados para locais seguros em autocarros. "Isto perturbou muitas vidas", disse Baillie, explicando que a dificuldade em avaliar a credibilidade de ameaças de bomba como esta levou as autoridades a decidir jogar pelo seguro.

Na conferência de imprensa, o chefe da Polícia Montada confirmou que outras escolas da província próxima de Nova Escócia também foram ameaçadas e que as autoridades procederam à evacuação da Universidade Comunitária de Marconi, da Universidade de Cape Breton e do campus do instituto de tecnologia NSCC em Halifax. Segundo Baillie, pelo menos uma escola dos Estados Unidos também recebeu uma ameaça de bomba semelhante, sem avançar mais pormenores.