Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Filho de Trump compara refugiados sírios a doces mortíferos

  • 333

JIM WATSON

Fabricante dos famosos Skittles fala numa analogia "inapropriada" e recusa-se a tecer mais comentários ao caso para não ser acusada de fazer marketing

O domínio das declarações controversas e incendiárias não pertence só a Donald Trump, o candidato republicano às presidenciais norte-americanas que tem feito campanha com promessas racistas de expulsar milhões de imigrantes clandestinos, criar uma base de dados com todos os muçulmanos que vivem nos EUA e construir um muro na fronteira com o México, forçando o país vizinho a pagá-lo.

Na segunda-feira, Donald Trump Jr., o filho mais velho do magnata do imobiliário que venceu as primárias republicanas, gerou controvérsia nas redes sociais ao comparar os refugiados sírios que estão a pedir asilo nos EUA a Skittles, uma espécie de pintarolas feitas de açúcar em vez de chocolate muito populares entre os norte-americanos.

"Se eu tivesse uma taça de Skittles e vos dissesse que só três podem matar-vos, vocês tirariam alguns? É esse o nosso problema com os refugiados sírios", lê-se na imagem partilhada por Trump Jr. no Twitter. A acompanhá-la uma legenda escrita pelo próprio: "Esta imagem diz tudo. Vamos acabar com a agenda do politicamente correto que não põe a América em primeiro lugar."

A imagem não é original — já tinha sido partilhada há alguns meses por Joe Walsh, ex-congressista republicano famoso pelos discursos incendiários e xenófobos no seu talk show de rádio, que foi um dos primeiros a reagir à partilha de Trump Jr. Vem, contudo, reforçar a retórica extremista do candidato presidencial do partido, que ao longo desta campanha tem sugerido que aqueles que estão a fugir da guerra civil na Síria, que já provocou mais de meio milhão de mortos e milhões de deslocados e refugiados, são uma ameaça — nas suas palavras, um "cavalo de Tróia" que está a introduzir terroristas dentro dos Estados Unidos.

O tweet de Trump Jr. causou a fúria de muitos utilizadores, entre eles o antigo responsável pelos discursos de Barack Obama, Jon Favreau, que respondeu diretamente ao filho de Trump, remetendo-o para as notícias recentes sobre a criança síria que sobreviveu a um bombardeamento em Alepo.

"Esta é uma de milhões de crianças que hoje comparaste a Skittles venenosos", escreveu Favreau sob a imagem penosa que correu o mundo, mostrando Omran Daqneesh, um sírio com a mesma idade da guerra no seu país, cinco anos e meio, em estado de choque, coberto de pó e sangue.

Reza Aslan, famoso escritor e apresentador de televisão norte-americano de origem iraniana, não se poupou na crítica a Donald Trump Jr., escrevendo irado "tal pai pedaço de merda, tal filho pedaço de merda".

Mais tarde Aslan partilharia um outro tweet, original do utilizador Omar Ghabra, que "melhorou" o cartaz partilhado por Donald Trump Jr. — substituindo a analogia dos refugiados e Skittles por uma entre o candidato presidencial republicano e "uma taça de Cheetos rançosos".

Contactada pelo "The Guardian", a fabricante de Skittles condenou a comparação feita por Trump Jr. "Os Skittles são doces. Os refugiados são pessoas. Não sentimos que esta seja uma analogia apropriada", disse a porta-voz da Wrigley, antes de acrescentar: "Vamos respeitosamente abster-nos de mais comentários porque qualquer coisa que digamos pode ser mal interpretada como marketing."