Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Autoridades norte-americanas não estão à procura de mais suspeitos de ataques

  • 333

RASHID UMAR ABBASI

Em conferência de imprensa, após a detenção do principal suspeito, as autoridades afastaram a possibilidade de que exista uma célula terrorista em Nova Iorque

As autoridades norte-americanas disseram esta segunda-feira que não estão à procura de mais nenhum suspeito relacionado com os ataques bombistas de Nova Iorque e Nova Jersey, e afastaram a possibilidade de que exista uma célula terrorista em Nova Iorque.

"Não tenho qualquer indicação de que uma célula [terrorista] esteja operacional na área ou na cidade", declarou hoje Bill Sweeney, o diretor-adjunto do escritório do FBI em Nova Iorque.

Sweeney falava numa conferência de imprensa ao lado do presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, que acrescentou que as autoridades não estão à procura de mais nenhum suspeito dos ataques bombistas.

"Não estamos à procura de mais nenhum indivíduo neste momento", disse o presidente da câmara.

As autoridades norte-americanas detiveram um americano de origem afegã que estava a ser procurado pelos atentados bombistas de Nova Iorque e Nova Jérsia durante o fim-de-semana.

Ahmad Khan Rahami, de 28 anos, foi detido em Linden, Nova Jérsia, após um tiroteio com a polícia no qual ficou ferido.

O americano de origem afegã é residente em Elisabeth, uma localidade perto do aeroporto de Newark, em Nova Jérsia, a 20 quilómetros de Nova Iorque.

O suspeito foi detido quatro horas depois de o FBI ter divulgado a sua fotografia numa mensagem enviada para os telemóveis de milhões de pessoas na área de Nova Iorque, identificando-o como "armado e perigoso".

Esta segunda-feira de manhã, as autoridades nova-iorquinas indicaram que Rahami estava a ser procurado pela explosão de sábado à tarde no movimentado bairro de Chelsea, em Manhattan, que fez 29 feridos. Fonte policial acrescentou depois que Rahami também estava a ser procurado por outra explosão no mesmo dia, esta em Seaside Park, ocorrida num percurso pedonal em Nova Jérsia.

Também presente na conferência de imprensa, o presidente da Câmara de Nova Jérsia, Chris Bollwage, disse que Rahami "não estava no radar" da polícia local.

O "mayor" de Nova Iorque sublinhou que as autoridades acreditam agora que os atentados à bomba em Nova Iorque e Nova Jérsia foram "um ato de terrorismo".