Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Tirem as armas aos guarda-costas de Hillary. Vamos ver o que lhe acontece”, sugere Trump

  • 333

O candidato republicano fez as polémicas declarações esta sexta-feira, num comício em Miami

Joe Raedle

Candidato republicano volta a ser criticado após tecer comentários que parecem incitar à violência contra a oponente democrata

EXPRESSO

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, voltou esta sexta-feira a ser notícia pelos piores motivos, depois de tecer comentários que estão a ser interpretados na imprensa internacional como um incentivo à violência contra a oponente Hillary Clinton.

"Tirem-lhes as armas!", sugeriu Trump, referindo-se aos guarda-costas que protegem a candidata democrata. "Vai ser muito perigoso. Vamos ver o que lhe acontece", acrescentou, arrancando aplausos à audiência que o ouvia num comício em Miami.

Os comentários de Trump surgiram quando o candidato republicano voltava ao controverso tema do uso e porte de armas nos Estados Unidos, aproveitando para acusar a rival de "arrogância". "Ela quer destruir a segunda emenda", cita o "The New York Times".

Esta não é a primeira vez que Trump faz notícia por aparentemente incitar à violência contra a adversária na corrida à Casa Branca. Ainda no mês passado o multimilionário sugeriu que os defensores das leis relacionadas com o uso de armas de fogo poderiam ser os únicos a poder "fazer algo" para impedir Hillary Clinton de nomear juízes do Tribunal Supremo dos Estados Unidos.

A campanha de Clinton já veio responder às afirmações de Trump, declarando em comunicado citado pelo "The Guardian" que "Donald Trump, o nomeado republicano à presidência, tem um histórico de incentivo à violência. Quer seja para provocar os protestantes num comício ou até como uma piada, é uma característica inaceitável para uma pessoa que ambiciona o cargo de Presidente".

  • Onde nasceu Obama? Campanha de Trump vira jogo contra Clinton

    É sabido que Donald Trump se aproveitou do movimento surgido em 2008 para acusar o atual Presidente norte-americano, à data candidato à presidência, de mentir sobre ter nascido nos Estados Unidos. Mas para ganhar votos, a campanha do republicano está a acusar a rival democrata de ter sido ela a lançar a “campanha de difamação”

  • Trump admite que Obama nasceu na América

    O candidato republicano não pede desculpa e atira as culpas da polémica para o lado, afirmando que foi Hillary Clinton quem lançou a ideia de que Barack Obama não nascera nos Estados Unidos