Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sobrevivente do Daesh é nomeada embaixadora da ONU

  • 333

Getty Images

Nadia é a primeira sobrevivente do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) a ser nomeada embaixadora da Boa Vontade das Nações Unidas. Foi também nomeada para o Prémio Nobel da Paz e faz parte da lista da Time das 100 pessoas mais influentes de 2016

Foi capturada pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) e vendida como escrava sexual. Sofreu abusos físicos e sexuais. Sobreviveu, conseguiu fugir e agora, aos 23 anos, Nadia Murad Basee Taha é nomeada embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Dignidade dos Sobreviventes de Tráfico de Seres Humanos.

Desde 2014, ano em que foi capturada, que o Daesh tem matado e escravizado a população Yazidi, uma comunidade étnico-religiosa curda minoritária, da qual Nadia também faz parte. Para o grupo terrorista, os membros deste grupo minoritário são “não crentes” e “adoradores do diabo”, porque não são muçulmanos.

Após ter escapado à escravidão, Nadia tornou-se ativista pelo povo Yazidi. Já se reuniu com vários chefes de Estado e líderes globais para falar sobre o problema que está a vitimizar milhares de pessoas da sua comunidade.

O seu trabalho na ONU vai focar essencialmente iniciativas para aumentar a consciência sobre as inúmeras vítimas de tráfico humano, especialmente refugiados, mulheres e raparigas.