Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mulher teve de abandonar restaurante na Alemanha por estar a usar véu islâmico

  • 333

O gerente, Christian Schulz, acompanhado por um dos seus chefes de cozinha.

Seekrug Facebook

O gerente já garantiu que não é racista e que o seu restaurante emprega pessoas oriundas de vários países

O incidente ocorreu num restaurante em Bielefeld, no norte da Alemanha, no dia em que centenas de pessoas celebravam o “Festival of Light” (Festival da Luz). Uma mulher entrou no estabelecimento Seekrug usando niqab - véu islâmico que cobre a cara. O gerente, Christian Schulz, pediu-lhe para retirar o véu, tendo a mulher recusado, e foi levada a sair do restaurante.

O contra-ataque haveria de chegar pelas redes sociais, com o gerente a receber dezenas de comentários muito pouco (ou nada) abonatórios. Os cibernautas, de acordo com os media alemães, chegaram mesmo a criar contas para insultar o gerente do restaurante. Este defendeu-se, dizendo que apenas “exerceu o seu direito enquanto gerente” e que era seu dever defender o Seekrug contra “julgamentos negativos”. Mas houve também quem enviasse mensagens de apoio a Schulz, elogiando a sua coragem.

Anteriormente, Schulz já tinha expulsado clientes do seu restaurante por estarem a usar roupa da marca “Thor Steinar”, que está associada ao neo-nazismo.

A integração da comunidade muçulmana na sociedade alemã tem constituído uma prioridade, desde que mais de um milhão de migrantes, a maior parte refugiados, foram acolhidos no país.

Na Alemanha não há nenhuma proibição em relação ao uso de niqab ou burka, mas os estados têm o poder de decidir impor restrições a nível regional.