Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alemanha vai mandar 650 soldados para missão no Mediterrâneo

  • 333

O objetivo da nova missão da NATO, que pediu a colaboração alemã, é controlar o crescente tráfico de seres humanos e armas em todo o Mediterrâneo, para além de limitar a atividade do Daesh

A Alemanha planeia mandar 650 soldados para o mar Mediterrâneo numa missão antiterrorista da NATO chamada “Sea Guardian”. O objetivo é o controlo eficaz do Mediterrâneo e o combate das atividades do autodenominado Estado Islâmico (Daesh), como o contrabando de armas, escreve a revista alemã “Der Spiegel”, esta terça-feira.

De acordo com a revista, o governo alemão pretende apresentar a proposta para aprovação no parlamento o mais depressa possível. A missão está prevista durar até dezembro de 2017 e a sua implantação faz parte de um projecto maior da Alemanha para expandir o seu papel militar na Europa e na NATO. A ministra da Defesa alemã, Ursula von der Leyen, tem dedicado especial atenção à reconstrução do equipamento e das forças armadas depois de anos de declínio.

Numa carta dirigida aos líderes parlamentares, a ministra da Defesa e o ministro dos Negócios Estrangeiros referiram que “as organizações terroristas agem sem serem impedidas” devido à falta de controlo por parte dos governos ao longo da costa do Mediterrâneo, o que representa “uma ameaça significativa para a nossa segurança”, escreve a revista. Em relação aos detalhes sobre a missão, o governo não adianta mais nenhum pormenor.

A NATO decidiu lançar esta nova missão no Mediterrâneo em julho numa cimeira em Varsóvia. Os navios alemães estão também envolvidos numa missão militar da União Europeia chamada “Sophia” que tenta combater o tráfico de armas e de pessoas na costa da Líbia.