Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hillary mantém vantagem no Colégio Eleitoral, diz sondagem nacional

  • 333

Justin Sullivan/GETTY

Embora os números dos dois candidatos se aproximem, a distribuição dos votos pelos estados favorece a democrata

Luís M. Faria

Jornalista

Donald Trump pode não vencer o Texas nas eleições presidenciais. É o resultado mais surpreendente de uma sondagem a nível nacional, a maior jamais realizada pelo “Washington Post”, em parceria com outra organização. O estado dos Bush e de outros ícones da direita é republicano em termos eleitorais há muito, mas neste momento Trump apenas tem lá uma vantagem de 1 por cento. Continua a ser mais provável que vença, mas a proximidade da candidata democrata é uma novidade importante.

Em contrapartida, Trump vai à frente em estados como o Iowa e o Ohio, considerados especialmente decisivos pela quantidade de delegados que têm no Colégio Eleitoral e sobretudo por serem ‘swing states’, isto é, estados que tanto podem dar a vitória aos republicanos como aos democratas. Trump também se aproxima de Hillary nalguns estados tradicionalmente democratas, como a Pensilvânia e o Michigan, graças ao apoio que recebe em antigas zonas industriais que sentem ter ficado à margem da economia atual.

A decomposição demográfica dos apoiantes dos candidatos reflete o que já se sabia. Trump recolhe a maioria dos seus votos entre os homens brancos sem formação superior. Hillary tem a maioria entre as mulheres e as minorias. Falando em geral, os números dos candidatos têm vindo a aproximar-se, com Hillary a perder a vantagem de seis ou mais pontos que lhe era atribuída há semanas. Mas dada a forma como os votos estão distribuídos pelos estados, mantém a sua vantagem substancial no Colégio Eleitoral.

Neste momento terá garantidos 244 votos no Colégio, contra 168 de Trump. Para ganhar são precisos 270. A sondagem, feita em todos os 50 estados entre 9 de agosto e 1 de setembro, inquiriu 74 mil votantes inscritos.